3 cursos para estudar fora do Brasil que custam até R$ 1.000

Você sonha em estudar fora do país? Mesmo em tempos de dólar turismo alto, valendo cerca de R$ 4, é possível fazer uma viagem para aprender uma nova língua sem gastar muito. Agora que o Carnaval passou e começou a baixa temporada, as passagens aéreas e as matrículas ficaram mais baratas. Hospedar-se em casas de família ou residências estudantis também pode reduzir os custos da viagem.

A operadora de viagens CVC oferece alguns cursos no exterior em cidades onde o real vale mais do que a moeda local ou o custo de vida local é baixo, permitindo que o estudante viaje sem gastar fortunas. Selecionamos três que custam menos de US$ 300, cerca de R$ 1.200. Mas fique atento, os valores se referem somente às aulas. Os gastos com passagens aéreas e hospedagem não estão inclusos.

Santiago (Chile)

iStock/tifonimages
A capital do Chile é um ótimo destino para os brasileiros, pois os custos de vida são parecidos

A capital do Chile é um destino econômico para os brasileiros, pois os custos com moradia e alimentação são parecidos com os preços daqui. Segundo estimativas da CVC, um lanche com bebida custa cerca de R$ 20 na cidade.

Para quem deseja aprender espanhol, um curso na escola Bridge custa a partir de US$ 250, cerca de R$ 1.000, com 20 horas de aulas. É possível comprar passagens para o Chile por R$ 800, sem taxas, e o preço médio de hospedagem em hostel durante uma semana parte de US$ 190, cerca de R$ 760.

Acesse a página dos cursos oferecidos na cidade para mais informações.

Buenos Aires (Argentina)

iStock/abalcazar
Com a desvalorização do peso argentino, viajar a Buenos Aires é acessível para os brasileiros

Outra opção para quem quer aprender ou aperfeiçoar o espanhol é a capital argentina, conhecida pela grande oferta de atrações culturais e pela ótima gastronomia. A viagem é mais acessível, pois o peso argentino está desvalorizado em relação ao real.

Há oferta de cursos de espanhol a partir de US$ 189, cerca de R$ 756, com 20 horas de aulas e material didático na escola Expanish. As passagens para Buenos Aires custam a partir de R$ 620, sem taxas, e hospedagem em casa de família por uma semana sai por US$ 240, cerca de R$ 960.

Acesse a página dos cursos oferecidos na cidade para mais informações.

Sliema ( Malta)

iStock/Anton Zelenov
Sliema, na ilha de Malta, tem custo de vida mais baixo do que os destinos da Europa de língua inglesa

A cidade de Sliema está localizada na ilha de Malta, no sul da Itália, e tem um custo de vida mais baixo em comparação aos destinos da Europa de língua inglesa, de acordo com a operadora de viagens. Para ter uma ideia, uma passagem de ônibus custa 1,50 euro, cerca de R$ 7, e permite viagens ilimitadas durante o dia todo.

Um curso de inglês na escola LAL custa a partir de US$ 246, cerca de R$ 984, com 20 horas de aula. As passagens aéreas para a cidade custam cerca de R$ 2.000, sem taxas, e existem opções de acomodação em residência estudantil por 178 euros por uma semana, o equivalente a cerca de R$ 800.

Acesse a página dos cursos oferecidos na cidade para mais informações.

Compartilhe:

1 / 8
1
34s
Use “anexo” corretamente
Na hora de enviar um e-mail corporativo, você sabe como escrevê-lo corretamente?
2
34s
Senão ou se não?
Aprenda quando usar o "senão" ou "se não".
3
33s
Presente do Subjuntivo
Aprenda a usar corretamente o Presente do Subjuntivo.
4
30s
Onde ou Aonde?
Responda rápido: "Onde você quer ir jantar?" ou "Aonde você quer ir jantar?". Qual a resposta correta.
5
02:13
O estilista que ensina de crochê em penitenciária masculina
O projeto Ponto Firme, criado pelo estilista Gustavo Silvestre, tem como objetivo transformar a vida de detentos de uma penitenciária …
6
01:47
Como se apaixonar por Bach – Lição 10
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.
7
01:48
Como se apaixonar por Bach – Lição 9
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.
8
01:30
Como se apaixonar por Bach – Lição 8
Curso "Como se apaixonar por Bach", com o maestro e pianista João Carlos Martins.