6 incentivos para você que está pensando em estudar fora

Aprimorar um segundo idioma e fortalecer a autoconfiança são alguns dos benefícios da experiência de estudo no exterior

Por: SEB (Sistema Educacional Brasileiro)

Pensando em estudar fora? O SEB (Sistema Educacional Brasileiro), listou seis razões que comprovam o quanto vale a pena investir nesse momento de crescimento. Para te ajudar nessa tarefa, contamos com os relatos de algumas pessoas que já viveram a experiência do intercâmbio. As vantagens são visíveis no desenvolvimento pessoal e profissional em diferentes perspectivas.

Os valores dependem muito da modalidade escolhida e do tempo de permanência. Eles podem variar entre R$6 mil (curso de 2 semanas) e R$30 mil (programas de 1 ano de duração). Esses custos são apenas uma média e podem sofrer alterações de acordo com o câmbio, mas, de todo modo, dado o volume do investimento, é preciso avaliar qual o retorno que essa experiência te proporcionará.

intercambio
Crédito: IStock/encrierO crescimento pessoal após estudar fora

Quais são os benefícios do investimento em cursos no exterior?

1. Aprimore o idioma estudando fora

Faça as contas! A mensalidade de um bom curso de inglês gira em torno de R$400. Ou seja, em um ano, seu gasto será de R$4.800. Provavelmente, são 6 anos para que você esteja preparado para fazer uma prova de proficiência, como o TOEFL ou o Cambridge. Nesse período, você terá gastado em torno de R$28,800 (e não levamos em consideração a inflação!)

6 dicas essenciais para quem sonha estudar no exterior

É claro que aprender um novo conteúdo é sempre enriquecedor. Mas perceba que, com esse mesmo valor, em um espaço de tempo muito menor, você será fluente em outra língua. Muito mais que aprender gramática e pronúncia, ele compreenderá códigos culturais que aprimorarão sua forma de comunicar.

Pedro Furtado, hoje aluno de Economia da UFMG, passou pela experiência de intercâmbio 3 vezes. A primeira em 2009, aos 17, depois aos 20 e 21 anos. Ele conta que sua relação com o inglês mudou completamente depois do intercâmbio. “Minha fluência só aconteceu porque eu fui para os Estados Unidos. Por mais que eu soubesse falar a língua, só aprendi mesmo quando fui forçado a conversar”.

2. Fortalece a autoconfiança e autoestima

Os irmãos Arthur e Isis Ribeiro tiveram a oportunidade de fazer intercâmbio na adolescência. Para ambos, a experiência foi transformadora. Formados em Educação Física, ele já treinou uma equipe de futsal na França. Agora, mora em São Francisco, Estados Unidos, e dá aulas no International High School. Ela é professora no Rio de Janeiro.

Isis conta que ganhou muito em independência e autoconfiança. “Mesmo sabendo me virar, passei por muitos momentos em que tive que tomar decisões pessoais e profissionais, sem ter ajuda, apoio e visão da minha família”.

3. Amplia a visão de mundo

Ao redor do planeta, existem as mais diferentes formas de lidar com situações cotidianas. Outras realidades que levam as pessoas a tomarem decisões que não seriam as nossas. Essa experiência proporciona uma expansão de horizontes.

Ana Tereza Raposo, que retornou do intercâmbio no início de 2018, conta um pouco mais sobre sua experiência: “passei a entender que mesmo sendo de culturas diferentes somos seres humanos e compartilhamos muitos sentimentos. Mudei pessoalmente. Comecei a compreender melhor quem eu era e me transformei em uma pessoa com uma cabeça aberta para o mundo e para resolver minhas próprias coisas”.

4. Proporciona novos desafios

Às vezes, as coisas mais simples podem se transformar em grandes obstáculos a serem vencidos na vida. Esses desafios podem se motivar a amadurecer, torná-lo um aluno mais engajado e, no futuro, um profissional consciente de suas potencialidades.

intercambio
Crédito: IStock/fizkesUm intercâmbio na conta faz diferença no currículo

5. Desenvolve habilidades

O aprendizado no intercâmbio vai muito além de uma outra língua estrangeira. Você vai entrar em contato com outras abordagens para disciplinas tradicionais, esportes alternativos, cursos extracurriculares, clubes de xadrez, marcenaria etc. Possibilidades que talvez não tivesse acesso com tanta facilidade no Brasil.

“No meu caso foram duas excelentes experiências. Uma como atleta e outra já como professor que me deu a oportunidade de aprender mais sobre o sistema de educação/esporte no ensino médio americano. Voltei com mais confiança em executar o meu trabalho e com novas ideias e experiências”, conta Arthur Ribeiro.

6. Faz diferença no currículo

De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Experimento, 59,1% das pessoas que passaram por intercâmbio consideram que conquistaram uma vaga no mercado de trabalho graças à sua vivência no exterior.

De fato, profissionais de Recursos Humanos tendem a valorizar esse ponto no currículo não somente pela fluência em outra língua, mas também pelas demais habilidades desenvolvidas.

Isis Ribeiro sentiu na pele o impacto de ter morado fora em sua busca por uma colocação no mercado de trabalho. “Profissionalmente foi excelente! A facilidade na comunicação, em executar tarefas, o relacionamento interpessoal, o fator da língua inglesa. Por todos os empregos e entrevistas que passei, intercâmbio era o que mais chamava atenção dos contratantes”, conta a educadora física.

Gostou destas informações? Continue lendo no blog Novos Alunos.

Compartilhe: