Anitta detona deputados por desenterrarem PL contra direito autoral

A cantora voltou a mobilizar seus seguidores na internet contra o novo ataque a classe artística

Por: Redação

Revoltada, Anitta detonou deputados por desenterrarem, no Congresso Nacional, um Projeto de Lei (PL) contra direito autoral de 1997. A cantora, que já conseguiu barrar uma emenda sobre o tema em uma medida provisória, voltou a mobilizar seus seguidores na internet contra o novo ataque a classe artística, nesta quarta-feira, 5, em sua conta no Instagram.

Crédito: Reprodução/InstagramAnitta detona deputados por desenterrarem MP contra direito autoral

Anitta compartilhou, em sua conta no Instagram, um vídeo do deputado Isnaldo Bulhões Jr. (MDB-AL) anunciando a votação, na próxima sessão da Câmara, do projeto de lei 3968 de 1997, de autoria de Serafim Venzon (PDT), que isenta os órgãos públicos e as entidades filantrópicas do pagamento de direitos autorais pelo uso de obras musicais e lítero-musicais em eventos por eles promovidos.

“Conseguimos com nossa força tirar o assunto de pauta no início da pandemia. Pensaram que tivéssemos dormido e começaram novamente. Estamos atentos e vamos cobrar. Vocês dependem do nosso voto nas próximas eleições. Estamos de olho”, postou a cantora.

“Não é só sobre mim… dezenas de famílias vivem dessa forma de sustento. Nossos políticos não podem continuar fazendo manobras de próprio interesse que desvalorizam os artistas (famosos ou não) do nosso País”, afirmou Anitta

A cantora apontou na rede social, pela função stories, que “parece que pensaram, ‘vamos deixar o povo esquecer, dar uma respirada e esperar o melhor momento”, escreveu Anitta.

A cantora afirmou que irá procurar diálogo com deputados que defendem a proposta.

Essa não é a primeira vez que Anitta entra no debate político para defender a classe artística. Em maio, a cantora mobilizou contra uma emenda da MP 948 e após fazer uma live com o deputado Felipe Carreras (PSB-PE) conseguiu que ele pedisse ao presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) a retirada do texto da medida provisória.

Essa emenda isentava a cobrança de direitos autorais sobre canções de pessoas físicas ou jurídicas, fazendo com que apenas o intérprete arcasse com essa despesa.

Compartilhe: