Últimas notícias:

Loading...

Gil do Vigor sofre ataques homofóbicos de conselheiro do Sport

"1,2 milhões [sic] de pessoas achando que o Sport só tem viado, só tem bicha", afirmou Flávio Koury em um trecho da gravação

Por: Redação

Nesta sexta-feira, 14, um áudio do grupo do WhatsApp de conselheiros do Sport com ataques homofóbicos a Gil do Vigor foi divulgado e começou a ganhar repercussão nas redes sociais. Quem fala no áudio é o advogado Flávio Koury, que se mostra muito irritado com a dancinha clássica do ex-BBB feita na Ilha do Retiro, estádio oficial do clube de futebol.

Gil do Vigor sofre ataques homofóbicos de conselheiro do Sport
Crédito: Reprodução/InstagramGil do Vigor sofre ataques homofóbicos de conselheiro do Sport

Torcedor declarado do Sport, Gilberto foi convidado pelo clube para conhecer o local nesta última quarta-feira, 12. Por lá ele posou para fotos, deu entrevista e ainda fez a famosa dancinha de “tchaki tchaki”, o que engajou pouco mais de 1.2 milhão de visualizações nas redes sociais do Sport.

“Se ele tivesse feito essa dancinha na casa dele ou no bordel, eu não estava nem aí. Foi dentro da Ilha do Retiro, né rapaz? Isso é uma desmoralização! Isso é ausência de vergonha na cara. É isso que estamos vivendo. Não tem mais respeito por pai e filho. É a depravação. Isso é o retrato do que o PT deixou pra gente. É exatamente isso”, disse o membro do conselho em um áudio.

“1,2 milhões [sic] de pessoas achando que o Sport só tem viado, só tem bicha. Vai vender é camisa. A viadagem todinha vai comprar. Vai ser lindo! Se ele tivesse feito a dancinha na casa dele ou no bordel, eu não estava nem aí. Foi dentro da Ilha do Retiro, né rapaz? Isso é uma desmoralização! Isso é ausência de vergonha na cara. É isso que estamos vivendo”, completou Flávio Koury.

O também conselheiro e deputado estadual, Romero Albuquerque (PP), informou que já realizou a solicitação da expulsão do homofóbico do quadro de conselheiros e que também pediu à mesa diretora uma reunião extraordinária para falar sobre o assunto. Segundo o deputado, a atitude do advogado não representa o time, nem mesmo o grupo de conselheiros.

“Ele não tem respeito por ninguém. Ofende diretores, técnicos, colegas conselheiros, jogadores e, agora, a nossa torcida. Inaceitável que alguém tenha esse pensamento em 2021. A diversidade faz parte da democracia. Pensamentos como os de Flávio Koury, não. O Sport fez 116 anos ontem, e nossa história é plural. O time é de brancos, negros, héteros, homossexuais, de todos. Isso construiu o maior do Nordeste”, disse o deputado ao UOL.

Primo de conselheiro defende homofobia

Em forma de retaliação ao pedido feito pelo político, o primo do conselheiro homofóbico, Jaime Koury, alegou que também irá pedir formalmente o afastamento dele do clube por expor a gravação de áudio à sociedade. Ele também está acusando o deputado de utilizar o time como palanque político.

“Tudo que o deputado queria. É o defensor dos fracos e dos inocentes. Olha ai que maravilha, deputado. O senhor é fantástico, o senhor não me representa nem representa o Sport. O senhor é apenas um conselheiro e o senhor fez de propósito, de sacanagem, característica de quem é covarde e conseguiu apunhalar 249 conselheiros”, disse o primo de Flávio Koury ao UOL.

Gil do Vigor lamenta ato homofóbico

Através do Twitter, Gil do Vigor falou que esse foi o primeiro ataque homofóbico que ele recebeu depois de deixar o programa e se sente machucado.

“Primeiro ataque homofóbico que me deparo após o BBB e posso garantir, ainda machuca MUITO! Mas sigo firme e providências serão tomadas. Tirando o dia off para não perder minha alegria por tudo que venho vivendo…… É muita dor!”, escreveu.

Compartilhe: