Marcelinho Carioca critica Carol Solberg por gritar ‘Fora, Bolsonaro!’

Em vídeo publicado com a legenda #FechadoComBolsonaro, Marcelinho diz que a Globo é usada por desportistas para atacar o presidente da república

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O famoso e veterano jogador de futebol, Marcelinho Carioca, publicou em seu Instagram na última segunda-feira, 21, um vídeo criticando Carol Solberg por ter gritado “Fora, Bolsonaro!” ao ganhar medalha no Circuito Mundial do Vôlei de Praia, na Globo. Na legenda da postagem ainda consta #FechadoComBolsonaro.

Marcelinho Carioca critica Carol Solberg por gritar: "Fora Bolsonaro"
Crédito: Reprodução/InstagramMarcelinho Carioca critica Carol Solberg por gritar: “Fora Bolsonaro”

No vídeo, ele fala que pela pela segunda vez, a Globo é usada por desportistas para atacar o presidente da república, Jair Bolsonaro. “Isso é inadmissível. A primeira vez foi quando eu estive com Bolsonaro. E isso não me cheirou bem. E a segunda agora é usada por uma jogadora de vôlei. Que jogada é essa, gente?”, perguntou.

“Eu defendo a liberdade de expressão, mas usar um veículo de comunicação de massa. Se o direito é contraditório, ai é antidemocrático. Bolsonaro, meu presidente, eu e vários atletas estamos contigo e nós não vamos nos calar”, disse.

O vídeo é um dos mais debatidos na internet e os nomes de Marcelinho Carioca e Casagrande se encontram entre os principais assuntos do Twitter nesta terça-feira, 22.

O que ele esteja falando talvez é sobre sobre a repercussão de seu encontro com Bolsonaro em julho desse ano, no qual Casagrande publicou um vídeo, sem ser na Globo, falando que nenhum ex-jogador tem o direito de representar o clube politicamente, um crítica direta a Marcelinho.

“Eu cheguei em 1975 nesse clube aqui, no Corinthians (apontando para a camisa). Comecei minha vida lá, corintiano de garoto, cheguei para jogar no dente de leite, nas categorias de base do Corinthians. Em 1979, a torcida do Corinthians abriu uma faixa no Pacaembu dizendo ‘anistia para os presos políticos e exilados políticos’.

Em 1982, 1983, até 1985 essa camisa aqui era da democracia corintiana, essa camisa representa liberdade, representa democracia, e nenhum ex-jogador tem o direito de representar o clube politicamente. Eu também não tenho. Isso aqui é democracia. Isso aqui sempre foi democracia”, disse Casagrande em vídeo.

Relembre o encontro de Marcelinho com Bolsonaro

Em julho deste ano, Marcelinho Carioca causou polêmica com os torcedores do clube ao gravar vídeo ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que vestia uma camisa do time.

Ele estava com o novo uniforme do clube, que na época mostrava a nova logomarca do banco BMG em preto e branco. Marcelinho é o representante da parceria entre a empresa e o Corinthians.

“Nação corintiana, aqui ó: o nosso presidente Jair Messias Bolsonaro com a camisa do Coringão! Isso que é democracia! Isso é defender a MP do Futebol! Isso é valorizar o futebol feminino!”, disse Marcelinho no vídeo.

Compartilhe: