No Roda Viva, Adnet comenta acusações de assédio contra Marcius Melhem

Jornalista citou o fato de Dani Calabresa, ex-mulher do humorista, ter sido uma das pessoas a denunciarem seu colega de trabalho

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Entrevistado pelo “Roda Viva” da TV Cultura na noite desta segunda-feira, 17, o ator e humorista Marcelo Adnet foi questionado sobre a situação do seu colega de trabalho, Marcius Melhem, demitido da Globo na última sexta-feira, 14, devido a denúncias de assédio moral.

A jornalista Anna Virginia Balloussier questionou Adnet se ele sabia do que acontecia e se ele iria testemunhar no caso. Adnet afirmou que não sabia. “E se alguém me convocar algum dia para qualquer tipo de esclarecimento, claro que darei. Eu não tenho nada a esconder. Eu sou um cara muito distante das relações empresariais, muito distante das decisões executivas. Eu nunca ocupei um cargo executivo e nunca quis uma vida executiva, como o Marcius estava tocando. Eu estive muito em cena com ele nos últimos anos, mas não presencialmente junto. Então isso é um assunto que tem que ser resolvido não por um ator, eu não tenho esse poder de Justiça, de tomar uma decisão tão importante e delicada. Eu sinto que se eu falar qualquer coisa eu serei leviano, porque não é uma questão de opinião”, comentou Adnet.

No Roda Viva, Marcelo Tas diz a Marcelo Adnet que não há humor em Cuba

marcelo adnet marcius melhem
Crédito: Reprodução/TV CulturaMarcelo Adnet comenta acusações de assédio contra Marcius Melhem

A jornalista reforçou a pergunta. “Você disse que não sabia que nenhuma mulher foi assediada por ele, mas uma delas seria a sua ex-mulher Dani Calabresa…”, endossou.

Marcelo Adnet no Roda Viva: ‘como morar no Brasil e não ser de esquerda?’

“Não, eu não sabia.”, respondeu o humorista. “Se eu soubesse de alguma coisa, eu certamente teria me envolvido e me engajado em alguma situação. Mas, de novo, eu não acho que esse assunto deva partir de alguma opinião. Se a gente quer tratar esse assunto com seriedade, ele tem que ser tratado por instâncias superiores, institucionalmente, e não através da minha opinião. Porque eu acho que isso seria reduzir uma coisa tão séria a uma palavra minha, e eu não posso fazer isso em respeito às pessoas que possam estar envolvidas no caso”, concluiu.

Compartilhe: