Equilibre-se
Equilibre-se
Equilibre-se
logo

Equilibre-se

Alimentação em locais públicos é foco de plano da OMS

Organização Mundial da Saúde conclama os governos a investirem na alimentação

Por: Redação
Ouça este conteúdo
Crédito: Sergio AmaralAlimentação em locais públicos é foco de plano da OMS

Lançado no início deste ano, um plano de ação da OMS (Organização Mundial da Saúde) visa formular e implementar políticas que melhorem a alimentação em estabelecimentos públicos. A ideia é aumentar a qualidade dos itens disponíveis, servidos e vendidos nessas instituições comunitárias.

A medida, que envolve critérios nutricionais, pode reduzir a incidência de doenças como a trematodíase ​​e mortes devido ao alto consumo de substâncias nocivas, à falta de água potável e à ingestão insuficiente de grãos inteiros, legumes, frutas e vegetais.

Os alvos da ação são escolas, creches, lares de idosos, hospitais, presídios e lanchonetes de órgãos públicos. Segundo a organização, 8 milhões de mortes no mundo são registradas todos os anos por causa da má alimentação.

Crédito: MaxHaack/SecomAlimentação em locais públicos é foco de plano da OMS

“Os governos devem dar o exemplo”, afirmou Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, reforçando a importância que os alimentos exercem sobre nossas vidas. Deficiências e excessos podem resultar em desnutrição, diabetes, obesidade, hipertensão, doenças cardiovasculares, câncer e outros males.

A nova diretriz permitirá que os governos desenvolvam, apliquem, monitorem e avaliem políticas públicas para a compra de serviços de alimentação e “catering” consistentes com as recomendações da OMS. O plano também pode abranger processos de fornecimento, distribuição, fabricação e venda.

Providências mundiais

Segundo a OMS, vários países já adotaram medidas nesse sentido. No Brasil, o Programa Nacional de Alimentação Escolar exige que 30% do orçamento seja destinado à compra de alimentos da agricultura familiar e que os cardápios sejam preparados sob critérios de sustentabilidade, sazonalidade e conveniência.

Em setembro, a OMS organizará a Cúpula das Nações Unidas sobre Sistemas Alimentares. A meta do evento é propor medidas inovadoras e ambiciosas para mudar a maneira como as pessoas produzem e consomem alimentos em todo o mundo. Devem ser abordados temas como a adoção de padrões de consumo sustentáveis e a facilitação da transição para a ingestão de alimentos mais nutritivos que requeiram menos recursos para preparo e transporte.

Compartilhe: