Equilibre-se
Equilibre-se
Equilibre-se
Equilibre-se

Equilibre-se

Alimentos muito gordurosos podem causar refluxo e mais problemas

Especialista indica os cuidados que devem ser tomados, especialmente nesta época do ano

Por: Redação
Crédito: Rajesh TP/PexelsAlimentos muito gordurosos podem causar refluxo e outros problemas

Além do frio, o isolamento social também nos faz querer comer mais –e, às vezes, pior. Mas alimentos muito gordurosos, por exemplo, podem causar refluxo e outros problemas.

“Se consumidos em excesso, os alimentos gordurosos podem causar diversas doenças”, explica o gastrocirurgião Eduardo Grecco. De acordo com o médico, eles podem prejudicar o sistema cardiovascular, os rins, o aparelho gastrointestinal e o fígado, além de obesidade, câncer e doença arterial periférica (falta de circulação sanguínea que causa dor muscular de perna, coxa ou quadril e dificuldade para caminhar).

Ele salienta que, para um indivíduo saudável, a ingestão de gorduras deve ser entre 20% e 35% do total de calorias diárias –sendo, no máximo, 10% provenientes da saturada. A gordura trans não deve fazer parte da dieta.

Crédito: Polina Zimmerman/PexelsAlimentos muito gordurosos podem causar refluxo

Embora o consumo excessivo de gordura seja, em geral, maléfico, certos indivíduos podem ser ainda mais afetados. “Algumas pessoas podem ter outros fatores genéticos que podem agravar e favorecer esses quadros”, alerta Grecco.

Refluxo

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), especialmente, é estimulada pelo consumo de gordura. Trata-se do retorno do conteúdo gástrico para o esôfago e que, por vezes, afeta até a boca e os dentes.

Contra o refluxo, um tratamento clínico, com o uso de medicações específicas, pode ser indicado. Também são orientadas ações como mudança do estilo de vida, elevação da cabeceira da cama e refeições fracionadas e mais leves antes de dormir. Deve-se evitar alimentos cítricos e gasosos, cafeína, álcool e tabaco, assim como o consumo de líquidos durante as refeições.

“As pessoas sentem mais fome e consomem mais calorias no inverno. As comidas gordurosas, os carboidratos e os doces são grandes fontes de energia e, por isso, mais consumidos no frio”, afirma o gastrocirurgião, que pertence ao Instituto EndoVitta. A questão é que, por outro lado, a tendência é de menor gasto calórico. “Dessa forma, é preciso manter uma alimentação equilibrada, comer bem no inverno e não engordar.”

Para Grecco, o mais importante é saber exatamente o que consumir. “Uma dica fundamental é atentar-se para as frutas, as verduras e os legumes da estação e tentar manter atividade física.”

Compartilhe: