Equilibre-se
Equilibre-se
Equilibre-se
Equilibre-se

Equilibre-se

Brasileiro consome muito sal e não tem consciência disso

Informação é do Ministério da Saúde, que alerta para os perigos do excesso desse mineral na alimentação

Por: Redação
Crédito: @handmadepictures/iStockBrasileiro consome muito sal e não tem consciência disso

Somente 12% dos brasileiros adultos têm consciência de que consomem muito sal na alimentação diária, de acordo com o Ministério da Saúde.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) estipula o limite máximo recomendado de 5 gramas por dia, mas, conforme a Pesquisa Nacional de Saúde 2013 (PNS), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), nosso país excede essa quantidade em quase duas vezes — a média de consumo por aqui é de 9,3 gramas.

“O sal é o principal fator de risco dietético que existe no mundo, incluindo o Brasil”, afirmou em março deste ano Eduardo Augusto Fernandes Nilson, então coordenador-geral substituto de alimentação e nutrição do ministério.

O excesso de sal está ligado ao aumento do perigo de doenças crônicas. A hipertensão arterial, por exemplo, é um dos principais fatores de risco para a ocorrência de AVC (acidente vascular cerebral), infarto, aneurisma, insuficiência renal ou problemas cardíacos. Cerca de 33 milhões de brasileiros têm pressão alta e, destes, 80% são atendidos pela rede pública de saúde.

“Os problemas das doenças crônicas relacionadas ao consumo excessivo de sal vêm da infância”, disse Nilson, indicando que toda a família diminua aos poucos o uso do sal, o que pode tornar imperceptível a mudança.

Saúde sem perder o sabor

“Para prevenir esses problemas, é reduzir o consumo de sal”, explicou o especialista, mencionando que a diminuição deve acontecer tanto no preparo de refeições quanto no consumo de sódio “escondido” em alimentos processados e ultraprocessados, como temperos prontos, embutidos, macarrão instantâneo e salgadinhos.

O Plano Nacional de Redução de Sódio em Alimentos tem como objetivo a retirada voluntária de sal do mercado brasileiro por parte de indústrias do setor. O compromisso foi firmado entre o Ministério da Saúde e a Abia (Associação das Indústrias da Alimentação).

Nilson ensina um modo simples de saber se um alimento industrializado tem muito sal: comparando as quantidades de sódio e de calorias na tabela nutricional. “Se a quantidade de sódio for maior do que a de calorias, excesso de sal.”

Outra dica é substituir o mineral por outros temperos, como ervas, grãos e sementes (como o gergelim), que podem agregar sabor e aroma à comida. O sumo de limão também pode ser um aliado na salada.

Crédito: @sandoclr/iStockBrasileiro consome muito sal e não tem consciência disso

No cozimento do feijão, por exemplo, é possível diminuir o óleo e o sal evitando o uso de carnes salgadas no caldo e aumentando a quantidade de cebola, alho, louro, cebolinha, salsinha, coentro, pimenta ou outros temperos que preferir. Mais uma ideia é acrescentar itens como vagem e cenoura, deixando o preparo ainda mais nutritivo.

Compartilhe:

Tags:#Saúde