‘Comfort food’ é bem-estar em forma de refeição; conheça

Entenda melhor esse conceito e saiba como ele pode levar benefícios à sua rotina

Por: Redação
Crédito: Republica/Pixabay‘Comfort food’ é bem-estar em forma de refeição; conheça

Todo mundo tem uma relação próxima com a “comfort food“. Isso porque esse conceito, que reúne as palavras “conforto” e “comida” em inglês, diz respeito àquela refeição que traz a você as mais carinhosas lembranças.

Larissa Januário, porém, tem uma ligação ainda mais íntima com o tema. A jornalista e cozinheira de 42 anos adora culinária desde a infância e acabou entrando profissionalmente na gastronomia em 2004. Hoje, é responsável pelo blog Sem Medida e pela Casa Azul (@acasazuloficial), um espaço para eventos na capital paulista.

Crédito: Arquivo pessoalA cozinheira e jornalista Larissa Januário

Para ela, toda comida deveria ser classificada como “comfort”. “Não acredito em comida funcional, afinal, todo alimento tem uma função”, diz Larissa. “Até mesmo aqueles considerados ‘porcaria’ têm seu espaço em momentos de relaxamento e diversão.”

A cozinheira, porém, cita o que significa esse tipo de comida para sua vida. “Para mim, ‘comfort food’ é a comida que acolhe, que faz a gente se sentir feliz e em casa”, ela explica. “Como um abraço carinhoso de vó, um bolo quentinho com café, um pão fresquinho com manteiga, uma salada crocante, colorida e bem temperada, uma pizza num domingo chuvoso à noite, uma sopa quando estamos resfriados…”, enumera.

Ao pé da letra

Segundo o dicionário Merriam-Webster, o termo ’comfort food’ é usado desde 1970 e significa “a comida preparada em estilo tradicional, tendo geralmente um apelo nostálgico ou sentimental”. Também pode ser interpretado como “a comida que satisfaz por ser preparada de um modo simples ou tradicional e que o remete à casa, à família ou aos amigos”.

O Sebrae Inteligência Setorial abordou o conceito em um de seus boletins de tendências da área de alimentação. A entidade lembra que, em português, a expressão pode ser traduzida como “comida afetiva”. “É uma nova tendência no mercado gastronômico que visa aproximar o consumidor de sensações que lhe tragam de volta emoções passadas”, diz o boletim.

Ou seja, indo além da nutrição, a “comfort food” pode remeter o indivíduo a lembranças e sensações que fazem bem a ele mentalmente e espiritualmente.

Larissa complementa que, para ela, o bem-estar está associado também ao prazer que a comida pode trazer. “Além de sensações de conforto, cuidado e afeto, a comida pode e deve ser nutritiva e gostosa”, afirma. “Não concordo com dividir comidas entre boas e más, mas, sim, em entender o que cada alimento tem e que efeito isso traz para seu organismo como um todo. Toda refeição deve, além de nutrir, ser gostosa. Isso é ser saudável pra mim.”

Compartilhe: