Cromoterapia: saiba como as cores podem agir sobre o organismo

Segundo especialistas, o ser humano é afetado de diversas maneiras pelas cores e por seus diferentes graus de luminosidade

Por: Redação
Crédito: Sanketh Rao/PexelsCromoterapia: saiba como as cores podem agir sobre o organismo

Práticas como a aromaterapia e a cromoterapia prometem diversos benefícios para nosso organismo. Elas usam o conhecimento sobre o efeito dos aromas e das cores no corpo e na mente com o intuito de gerar equilíbrio e saúde.

“A cromoterapia é uma ciência relativamente nova no Ocidente”, diz a especialista no tema Adrieli Souza Israel, da Uniplac (Universidade do Planalto Catarinense). “Não existe apenas uma forma de aplicá-la, mas muitas técnicas vêm sendo pesquisadas e colocadas em prática com sucesso.”

Segundo ela, estudos demonstram que o ser humano é afetado de diversas maneiras pelas cores e por seus diferentes graus de luminosidade. É por isso que, em um dia nublado ou chuvoso, muita gente se sente mais triste. Essa influência também impacta a maneira como nos vestimos, a forma como nos expressamos, nossa vida profissional e nossa alimentação.

Na busca pela saúde, a técnica pode ser associada ao que pensamos e ao que sentimos. “Através das cores, podemos encontrar um equilíbrio interior”, afirma Adrieli. “Tudo depende da consciência que temos em relação a nossas próprias energias e às que nos rodeiam. Cores são algumas dessas energias que impactam na vida saudável.”

Crédito: Steve Johnson/PexelsCromoterapia: saiba como as cores podem agir sobre o organismo

Ela também menciona o uso da cromoterapia na estética. Nos tratamentos, são empregadas lâmpadas coloridas, água solarizada, contato com a natureza, caneta de cromoterapia ou a simples mentalização.

Um estudo da Univap (Universidade do Vale do Paraíba) apontou  os efeitos que determinadas cores exercem sobre as pessoas:

Amarelo

Empregada contra a hepatite e doenças do baço e da medula óssea. Pode influenciar o sistema nervoso, aumentar a pressão arterial e fortalecer a saúde dos órgãos e dos ossos. É considerada estimulante da concentração e utilizada em trabalhos intelectuais.

Azul

Cor muito utilizada na terapia de crianças e de pacientes violentos e maníacos. Calmante, refrescante e levemente anestésica, pode diminuir a pressão arterial, reduzir a ansiedade e o estresse, eliminar dores e induzir ao sono e ao relaxamento.

Branco

Neutra, a cor não tem efeitos emocionais ou fisiológicos, segundo a pesquisa.

Laranja

Indicada para o tratamento de depressão, disritmia, constipação e doenças renais e da bexiga. Pode aumentar a vitalidade do sistema nervoso e acelerar o metabolismo ósseo. Também pode causar inquietação.

Rosa

Estimula o amor fraterno, de acordo com a cromoterapia.

Verde

Adeptos da prática indicam a cor para ambientes hospitalares por acelerar o metabolismo hepático e a cicatrização de tecidos em situações pós-operatórias, baixar a febre e combater células doentes e mortas. Além disso, pode tranquilizar o paciente e melhorar o equilíbrio.

Vermelho

Tida como uma cor vitalizadora do sangue, dos tecidos e do sistema esquelético, é usada em casos de cansaço e enfraquecimento. Por outro lado, pode causar perturbação, estimular em excesso o sistema nervoso e as emoções e produzir dores de cabeça, morbidez e mau temperamento. Um estudo alemão demonstrou que 1.000 portadores de insuficiência cardíaca rejeitaram a cor.

Violeta

Utilizada no tratamento de infecções graves, como sífilis, e contra o mau funcionamento da tireoide e processos tumorais. É contraindicada em caso de doenças respiratórias, pois pode incentivar o crescimento de vírus pulmonares. Nos Estados Unidos, banhos de luz com a cor são preparados contra psoríase e dermatite. Antisséptica, é empregada como regeneradora do sistema nervoso, aliviando a fadiga e o estresse.

Fontes: Canal Saúde (SUS-Fiocruz), Univap e Uniplac

Compartilhe:

Tags:#Saúde