Em época de pinhão, conheça os benefícios dessa delícia à saúde

Embora seja ingrediente de muitas receitas, este alimento, mesmo que apenas cozido, já garante o sabor e os nutrientes de uma boa refeição

Por: Redação
Crédito: @eltonsipp/PixabayÉ época de pinhão! Saiba que essa delícia faz bem à saúde

O pinhão é um dos alimentos mais tradicionais de nossa mesa, em especial nas estações frias do ano. A semente, consumida por povos indígenas brasileiros desde tempos remotos, é sinônimo de conforto e aconchego não só na região Sul, mas também em festas Brasil afora, no outono e no inverno.

O melhor é que essa delícia tem importantes aspectos nutricionais. Rico em fibras, ele previne doenças intestinais e favorece a digestão.

Diversos minerais compõem o pinhão, especialmente o potássio, que auxilia no controle da pressão arterial e atua no relaxamento da musculatura. Também possui cálcio, ferro, fósforo, cobre, zinco, manganês, magnésio, enxofre e sódio.

Crédito: @Júlia Orige/PixabayÉ época de pinhão! Saiba que essa delícia faz bem à saúde

Já os ácidos graxos linoleico (ômega 6) e oleico (ômega 9) encontrados no alimento ajudam a reduzir o colesterol e triglicerídios no sangue e prevenir doenças cardiovasculares.

Calorias

“O pinhão é conhecido por ser uma boa fonte de carboidrato, principalmente amido, que é o componente presente em maior proporção na semente [aproximadamente 36% em base úmida, 71,84% em base seca]”, diz Renata Moschini Daudt, autora de um estudo sobre o alimento realizado na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

São 33,24 gramas de carboidrato a cada 100 gramas de pinhão cozido. Já as proteínas correspondem a 3,62 gramas na mesma quantidade de sementes.

Como é bem calórico (160,58 kcal a cada 100 gramas), o pinhão cozido é perfeito para ser consumido no frio e pode enriquecer a dieta de atletas, trabalhadores braçais, crianças e adolescentes.

Também é usado em diversas receitas, mas mesmo cozido e consumido sem acompanhamento –como muita gente faz durante as festas juninas–, ele é satisfação e nutrição garantidas.

Fontes: Embrapa Florestas e Lume-UFRGS

Compartilhe: