Já ouviu falar em maca peruana? Saiba se faz bem ou mal à saúde

Benefícios do milenar vegetal andino podem ir além do fator sexual; conheça melhor este tubérculo

Por: Redação
Crédito: Judgefloro/Wikimedia CommonsJá ouviu falar em maca peruana? Saiba se faz bem ou mal à saúde

Talvez você já tenha recebido e-mails sobre as maravilhas que a maca peruana pode fazer por sua energia e seu desempenho sexual. Mas você sabe o que é a maca peruana e quais vantagens (ou desvantagens) ela pode trazer à saúde?

Esse vegetal é, na verdade, um milenar tubérculo andino. É cultivado e consumido no Peru desde um período de 1.300 a 2.000 anos atrás, como alimento e remédio. Tradicionalmente, a raiz é cozida, assada, fermentada como uma bebida e transformada em mingau.

Crédito: Vahe Martirosyan/FlickrJá ouviu falar em maca peruana? Saiba se faz bem ou mal à saúde

Conhecida principalmente por suas supostas qualidades afrodisíacas e energéticas, a maca ganhou notoriedade mundial no fim dos anos 1990, quando se tornou uma febre na China como medicamento fitoterápico. A partir de então, passou a ser comercializada em todo o mundo em forma de pó e vendida como o “ginseng peruano”. Com o apelo de incrementar a libido, explodiu na internet.

Muito além do sexo

Além da fama de afrodisíaca, a maca peruana também é empregada para tratar reumatismo, distúrbios respiratórios e anemia, entre outras doenças. Há pessoas, ainda, que a empregam durante a menopausa ou em casos de disfunção erétil e aumento da próstata. Seus efeitos sobre a saúde humana, porém, ainda não são muito bem conhecidos.

Crédito: Judgefloro/Wikimedia CommonsJá ouviu falar em maca peruana? Saiba se faz bem ou mal à saúde

Um estudo da University College London averiguou os eventuais benefícios da planta –em especial, no que tange ao sexo, já que é usada até mesmo para aumentar a fertilidade de bois. Os resultados, porém, foram inconclusivos.

Apesar disso, foram encontradas na maca algumas propriedades que não existem em outras plantas, o que pode explicar os benefícios à saúde descritos por tantas pessoas ao redor do mundo.

Outra instituição que tem pesquisado a planta é a Victoria University. Os especialistas australianos analisam o potencial de melhora da função sexual de mulheres com diabetes tipo 2 ao tomarem um suplemento de maca. Para isso, recrutaram pacientes sexualmente ativas de 30 a 49 anos. A mesma universidade foi responsável por uma pesquisa entre mulheres na pós-menopausa. Elas apresentaram melhora em quadros de depressão e pressão alta.

Riscos à saúde

Segundo os estudiosos, as formas tradicionais de cultivo da raiz se expandiram após a fama mundial. Com isso, passaram a ser empregados fertilizantes e agrotóxicos –o que pode comprometer as qualidades originais do tubérculo.

Além disso, ao comprar o produto processado, dificilmente o consumidor saberá quais os reais componentes do pó adquirido, já que a maioria tem procedência desconhecida. Isso pode gerar desde uma simples alergia até sérios problemas de saúde –sem contar a ineficiência do tratamento.

“A falta de protocolos para regular a produção e a comercialização da maca durante essa rápida expansão representa uma ameaça tanto à segurança dos consumidores quanto à sustentabilidade do fornecimento”, dizem os pesquisadores da University College London.

Portanto, além de ter suas qualidades ainda pouco estudadas, o consumo da maca peruana ainda pode representar alguns riscos. Vale ficar esperto e aproveitar os benefícios desse vegetal com cuidado e moderação.


Imagem Carnaval Sem Assedio

Compartilhe: