Suplementação de zinco pode interferir no peso corporal

Será que vale a pena turbinar nossa alimentação com pílulas ou fórmulas compostas por esse nutriente?

Por: Redação
Ouça este conteúdo
Crédito: @Ljupco/iStockSuplementação de zinco pode interferir no peso corporal

Estamos acostumados a ver propagandas sobre os eventuais benefícios de suplementar nossa alimentação com vitaminas e sais minerais. Assim, uma série de pílulas e fórmulas são comercializadas nas farmácias como se fossem a verdadeira salvação de nossa saúde. Um estudo, porém, aponta que suplementos de zinco podem ser necessários em casos de sobrepeso ou obesidade.

A pesquisa, realizada em conjunto por estudiosos iranianos e canadenses e divulgada em maio deste ano, aponta que “o zinco desempenha um papel importante na função enzimática e na regulação metabólica”, sendo um “modulador significativo do apetite e dos comportamentos alimentares”.

De acordo com os pesquisadores, o desequilíbrio de micronutrientes pode contribuir para a obesidade. Ao contrário do que se pensa, indivíduos com sobrepeso ou obesidade apresentam mais deficiências nutricionais do que pessoas com peso normal. As maiores faltas de nutrientes são, por ordem decrescente, as de zinco, de vitamina C, de selênio e de vitamina D.

Crédito: @apomares/iStockSuplementação de zinco pode interferir no peso corporal

“O zinco desempenha um papel importante na função enzimática e na regulação metabólica e é um modulador significativo do apetite e dos comportamentos alimentares”, explica o estudo.

Observando a deficiência, os pesquisadores decidiram realizar uma revisão de 27 ensaios clínicos de 1.438 participantes adultos para investigar se a suplementação de zinco afetaria os resultados e a composição corporal.

“Os dados sugerem que a suplementação de zinco aumenta o peso corporal em pacientes submetidos à hemodiálise e diminui o peso corporal em indivíduos com sobrepeso / obesidade, mas saudáveis”, avaliou o estudo. “Embora sejam necessários mais estudos de alta qualidade para chegar a uma conclusão definitiva, esse estudo apoia a visão de que o zinco pode estar associado ao peso corporal”, concluiu.

Excesso de peso

Ainda segundo o estudo, a obesidade e o sobrepeso estão aumentando rapidamente e já afetam mais de um terço da população no mundo.

A obesidade eleva o risco de problemas crônicos de saúde, como distúrbios de sono e psiquiátricos, doenças cardiovasculares, articulares e ósseas, diabetes tipo 2, hipertensão e alguns tipos de câncer.

A origem da obesidade pode ter diversos fatores, mas, em geral, pode ser combatida com modificações na dieta, aumento da atividade física e controle médico ou cirúrgico, em casos extremos.

Fonte: Abran

Compartilhe: