Veja 3 formas de se beneficiar das velas sem esoterismo

Muito além do misticismo e da religião, elas afetam o corpo e provocam reações que combatem, entre outros males, o estresse e a ansiedade

Por: Redação
Crédito: Lisa Fotios/PexelsVeja 3 formas de se beneficiar das velas sem esoterismo

Já faz muito tempo que esotéricos e religiosos usam velas para alcançar o bem-estar físico, o equilíbrio das emoções e até a ascensão espiritual. De forma bem mais mundana e pragmática, profissionais de saúde estudam e colocam em prática esse antigo elemento para obter benefícios e diminuir os reflexos dos problemas atuais.

O emprego da vela como método terapêutico pode alcançar diferentes efeitos, dependendo da técnica e do sentido que é explorado –visão, olfato ou tato.

A vela e a visão

Apenas por suas cores, as velas poderiam entrar na seara da prática terapêutica conhecida como cromoterapia, que emprega cores do espectro solar para provocar reações físicas e mentais. A chama, porém, leva a uma outra técnica.

A trataka, uma forma ancestral de meditação conhecida na ioga, consiste em olhar para a chama e induzir estados mentais meditativos, melhorar a capacidade visual e limpar toxinas do corpo.

Um estudo publicado no US National Library of Medicine National Institutes of Health mostrou resultados positivos no primeiro mês de trataka em um grupo de pessoas entre 60 e 80 anos.  Adeptos do mindfulness também têm recorrido à chama para promover exercícios rápidos de meditação.

A vela e o olfato

Tal como a cromoterapia para os olhos, a aromaterapia, que atinge nossa percepção olfativa, visa recuperar a harmonia física e mental. Essa prática terapêutica costuma ser associada a outras técnicas, como massagens e florais, além da própria cromoterapia.

A utilização de odores com a intenção de provocar bem-estar é adotada por médicos, psicólogos, fisioterapeutas e veterinários, mas também por comerciantes que querem criar um ambiente agradável aos consumidores e influenciar o comportamento dos clientes.

Cada um dos cheiros da vela trará um efeito determinado, e deverá ser explorado de acordo com o caso tratado. Por exemplo: camomila e babosa para quem busca tranquilidade, jasmim e patchouli para revigorar a energia sexual, alecrim e tangerina para estimular o bom humor e a criatividade.

A vela e o tato

Crédito: Cottonbro/PexelsVeja 3 formas de se beneficiar das velas sem esoterismo

A massagem com vela (“candle massage”) é uma técnica norte-americana que usa o líquido do derretimento das velas como vetor para renovar as energias do corpo e provocar sensações singulares com o uso da temperatura, normalmente entre 38°C e 39°C.

Essa prática costuma empregar ceras vegetais específicas, determinadas pelo terapeuta, que combinam elementos da aromaterapia e hidratação da pele pelos óleos essenciais.

O objetivo é aliviar dores e tensões musculares, combater cãibras e inchaços, eliminar toxinas e estimular a circulação sanguínea.

PICs no SUS

As PICs (Práticas Integrativas e Complementares) são oferecidas gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) desde 2006. Recentemente, o Conselho Nacional de Saúde sugeriu essas práticas para enfrentar as consequências da pandemia do novo coronavírus na saúde física e mental dos brasileiros. Abaixo, conheça as práticas que estão disponíveis:

·         Apiterapia

·         Aromaterapia

·         Arteterapia

·         Ayurveda

·         Biodança

·         Bioenergética

·         Constelação familiar

·         Cromoterapia

·         Dança circular

·         Geoterapia

·         Hipnoterapia

·         Homeopatia

·         Imposição de mãos

·         Medicina antroposófica / antroposofia aplicada à saúde

·         Medicina Tradicional Chinesa – acupuntura

·         Meditação

·         Musicoterapia

·         Naturopatia

·         Osteopatia

·         Ozonioterapia

·         Plantas medicinais – fitoterapia

·         Quiropraxia

·         Reflexoterapia

·         Reiki

·         Shantala

·         Terapia Comunitária Integrativa

·         Terapia de florais

·         Termalismo social / crenoterapia

·         Ioga

Com informações de: Ministério da Saúde

Compartilhe: