O Sesc Pompéia apresenta em março, a retrospectiva do ano de 2008 do projeto Prata da Casa. Semanalmente, sempre às terças-feiras e com entrada franca, a Choperia emprestou seu palco a uma brilhante variedade de artistas novos de pontos diversos do país. O projeto Prata da Casa vem abrindo espaço na noite da cidade para os nomes que farão o futuro da música popular brasileira. A retrospectiva tem o objetivo de lembrar alguns dos momentos significativos vividos na Choperia durante o último ano. Curadoria de Pedro Alexandre Sanches e Patrícia Palumbo. Retirada de ingressos na bilheteria no dia do show.

divulgaçãoAndréia Dias

Créditos: Andréia Dias

Andréia Dias

Andréia Dias. Homem/ seu desejo secreto é me ver no necrotério/ branca como a neve/ bela adormecida esquecida/ uma flor murcha e caída. Integrante de frente do grupo paulistano Dona Zica (com passagem pela suingada Banda Glória), Andréia Dias lançou seu trabalho solo e autoral com o disco Vol. 1, em que se lapidam qualidades já bem delineadas na banda mãe. Mais que nunca, se evidenciam a voz poderosa, as composições inspiradas, o entrecruzamento entre pop, MPB, rock, samba, reggae, vanguarda paulistana, canção e erudição, com o apoio de músicos como Fernando Catatau, Guilherme Kastrup, Marcelo Jeneci e Luciano Barros. Estilo e identidade sãopercebidos na originalidade mansa de Vampiro Tupiniquim, Libido e Linfa Ácida, entre várias outras.

Cantor e compositor, Leo Cavalcanti é músico de intensa contemporaneidade. De uma geração com ampla liberdade criativa, Leo não se classifica em gêneros, mas faz canções seguindo sem querer uma tradição nacional. Tem um timbre de voz muito particular e um ótimo violão. Suas influências vão do samba ao soul, do blues ao xaxado. Toca violão, guitarra, baixo e assina as programações eletrônicas. Frenesi de Otário e Medo de olhar pra si são alguns de seus temas em que mostra crítica e ironia nas crônicas do seu tempo.

Prata da Casa