Doma, Fase, Run Don´t Walk e Buenos Aires Stencil desembarcam no Brasil para mostrar a essência do pop portenho, que mistura influências estrangeiras, principalmente européia, com crises socioeconômicas, expressividade e realidade local. Uma estética de impacto visual, expressão crua e produção independente.

A Choque Cultural é responsável por trazer praticamente toda a cena que comanda o novo muralismo de Buenos Aires, em uma iniciativa pioneira – mas que já é uma característica da galeria – em que concentra não só as obras, mas recebe os artistas in loco, investindo no intercâmbio cultural entre artistas e manifestações de diversos países.

Os quatro coletivos apresentam esse movimento em uma exposição multimídia com serigrafias, telas, instalações e intervenções urbanas. Durante a exposição em São Paulo, os integrantes do Fase farão um happening de co-criação utilizando o Tagtool, ferramenta de projeção criada por um coletivo austríaco, que permite a participação do público em tempo real, na rua ou em qualquer outro espaço. A ideia do projeto chamado SMILE é realizar projeções provisórias que formatam murais animados, por meio de um código aberto/ setup multiuso.

Os argentinos sediados em Buenos Aires fazem parte de uma geração que se formou nos anos 90 e participou de uma primeira explosão na crise argentina de 2001. Nos últimos dez anos, esses grupos têm se caracterizado pelo trabalho coletivo e buscado explorar técnicas, como ilustração, estêncil e pôsteres, além de instalações, grandes murais, web arte, arte performática e música.

Buenos Aires en Choque