O espetáculo de dança “Crendices...Quem disse?”, dirigido por Ana Bottosso, aborda as crendices populares que habitam o dia–a–dia do povo brasileiro e têm como base temática a pesquisa gestual e de movimentação que envolvem elementos das danças populares brasileiras, transformadas por meio da visão contemporânea.

Desde sua idéia de concepção inicial, em junho de 2006, a pesquisa desenvolveu-se alimentada pela arte literária de Ariano Suassuna, um intrigante romancista, dramaturgo, poeta e filósofo brasileiro.

Extraídas de alguns trechos do seu romance “A Pedra do Reino” foram destacadas passagens em que a crença em fenômenos do cotidiano, é elemento determinante do destino de um povo.

Crenças populares, advindas do passado de cada um de nós e dos textos do autor, foram fontes de inspiração para este trabalho coreográfico, unindo “causos”, tragédias, alegrias e curiosidades.

Assim, em um contexto final, aborda-se a diversidade cultural do brasileiro manifestada por meio de suas crendices.

divulgaçãoFoto do Espetáculo

Créditos: Foto do Espetáculo

Foto do Espetáculo

Sobre a Companhia de Danças de Diadema

Em 1994, um grupo de bailarinos, a convite da Prefeitura do Município de Diadema, selecionou bailarinos que pudessem compor uma companhia de danças e, ao mesmo tempo, atuar como professores e educadores nos centros culturais da cidade. E foi assim, que em 1995, nasceu a Companhia de Danças de Diadema e o Programa de Difusão e Formação em Dança.

Idealizado por Ivonice Satie, essa companhia tem como objetivo formar bailarinos profissionais, permitir o contato com a arte, privilegiar o conhecimento e o movimento do corpo como forma de expressão e, acima de tudo, inclusão cultural.

Pioneira no país na arte-educação, a Companhia de Danças de Diadema já permitiu, em suas oficinas, o acesso à dança a mais de dez mil pessoas, entre adultos, jovens e crianças.

Além dos espetáculos e apresentações, o trabalho social é uma missão e uma satisfação pessoal para cada integrante. Com seu programa social, atende uma média de 850 pessoas por ano nas oficinas, entre crianças, adolescentes, adultos, Melhor Idade e portadores de necessidades especiais, realizando um trabalho de oficinas permanentes nos 10 centros culturais da cidade.

A Companhia de Danças de Diadema também desenvolve trabalhos com portadores de deficiências físicas e de inclusão das minorias, como o Projeto Mão na Roda, coordenado por Luis Ferron.

Espetáculo de dança: CRENDICES...QUEM DISSE?