Os aspectos históricos e arquitetônicos da região das ruínas de São Miguel das Missões, um dos mais importantes sítios arqueológicos do Brasil, no noroeste do Rio Grande do Sul, compõem a exposição de fotografias “O Sonho e a Ruína”, de Luiz Carlos Felizardo, que a CAIXA Cultural - Galeria Vitrine da Paulista promoverá de 22 de maio a 28 de junho.

Sob curadoria do próprio Felizardo em parceria com Paula Ramos, a mostra apresenta 50 painéis com imagens em preto-e-branco e textos que abordam a história, a estatuária e a arquitetura das ruínas jesuítas de São Miguel das Missões, declaradas Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1983.

O artista acompanha as ruínas há várias décadas, fazendo fotografias a partir de registros que ampliam os recursos da linguagem fotográfica. Seu interesse se deve a uma série de coincidências. Seu pai trabalhou ali no início do século XX, presenteando-o com fotos raras e antigas do local. O parentesco com Luiz Carlos Prestes também o influenciou: uma carta escrita da prisão por ele ao pai do artista, de quem era primo, relata o momento de formação da Coluna Prestes, movimento político-militar do Estado Novo que escolheu as missões de São Miguel como ponto de reunião das tropas.

Evidenciando as nuances da região, Felizardo propõe uma visão contemporânea da arte de fotografar. A seleção de imagens apresenta panorâmicas de paisagens locais e detalhes arquitetônicos do edifício principal da catedral. Estes remanescentes arquitetônicos das Missões jesuítico-guarani representam parte do processo histórico-cultural e da formação territorial do sul do Brasil.

Sobre o fotógrafo

Felizardo é um dos mais significativos fotógrafos contemporâneos do país e sua produção ocupa um lugar de destaque no panorama nacional. É um dos cinquenta fotógrafos brasileiros do século XX reunidos no projeto básico do Módulo Fotografia do Instituto Cultural Itaú (SP) — primeiro banco de imagens digitalizadas sobre a história da fotografia brasileira e seus autores. O artista contabiliza uma série de exposições no exterior e suas obras compõem coleções de instituições culturais em países como México, Cuba, Argentina e Estados Unidos.

Fotógrafo documenta a arquitetura das ruínas de São Miguel das Missões