Exposição com cerca de 150 obras. A mostra questiona a re-significação do patrimônio histórico e cultural e seus desdobramentos na produção de memória, por meio da releitura do Monumento a Ramos de Azevedo que estabeleceu diferentes contextos na cidade de São Paulo: o seu original, na avenida Tiradentes e sua relação com o prédio da Pinacoteca do Estado de São Paulo, e o atual, na praça Ramos de Azevedo, na Cidade Universitária, e a relação com os prédios da Escola Politécnica.

Monumetria