Intitulada “Do Novo ao Novo Cinema Argentino- Birra, Crise e Poesia”, busca mostrar ao público brasileiro nomes que vem se destacando na indústria argentina e longas do começo da carreira de diretores reconhecidos, como Pablo Trapero e Lucrecia Martel.

O espectador poderá assistir a 28 títulos (22 em película 35 mm, seis em DVD), safras pertencentes a dois momentos históricos: o primeiro, de 1959 a 1966 e, segundo, de 1997 aos dias de hoje. Nos dois períodos, os filmes tiveram como pano de fundo a crise política e a estagnação econômica.

Chamado de Nuevo Cine, os filmes que pertenceram à década de 60 (de 1961 a 1966) foram frutos de um momento vivido por cineastas de repertórios formados por cineclubes e revistas de crítica cinematográfica e influenciados, também, pela ideia de “cinema-autor”, de André Bazin.

As narrativas defendiam um cinema denso, concentrado nos conflitos existenciais urbanos e livres para serem percorridos pelas ruas da cidade. Dessa época destacam-se “Crónica de um Niño Solo”, de Leonado Favio.

O segundo momento, também chamado de Nuevo Cine pertence a obras realizadas de 97 aos anos de hoje e oferece quinze produções surgidas no renascimento da cinematografia argentina. Filmes de diretores como Pablo Trapero e Lucrecia Martel encontram-se nessa fase.

A mostra terá também debates que começarão a partir desta sexta-feira, 21, com o tema “Nuevos Cines- Anos 60 a 90”, com Clara Kriger e Ana Laura Lunish, às 19 horas. No sábado, 22, às 15 horas, o debate é o cinema argentino versus o brasileiro, para discussão estarão presentes Hernani Heffner, diretor de conservação da Cinemateca do MAM-Rio, o cineasta Hector Babenco e Luiz Carlos Oliveira Jr., editor da revista Contracampo. Na sexta-feira, 28, às 19 horas, o tema “Produção e Difusão”, com Marcus Mello e André Gatti. No sábado, 29, às 15 horas o tema do debate será “O Cine Argentino por Ele Mesmo”, com o cineasta argentino Adrián Caetano e o produtor Chino Fernández.

Do Novo ao Novo Cinema Argentino- Birra, Crise e Poesia

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.