Baseado em um romance de Alfred Andersch, Helmut Käutner conta a história de uma jovem mulher, Franziska (Ruth Leuwerik), que não agüenta mais sua vida pequeno-burguesa na Alemanha, seu casamento paralisado pela rotina, e um caso amoroso sem nenhum sentido. Ela vai para Veneza e lá conhece novas pessoas, mas essas relações não são diferentes das outras.

Entre os novos conhecidos, está um antigo oficial britânico e espião, que a usa para se vingar de um nazista. Franziska foge mais uma vez. O filme conta a história de uma fuga do tédio mundano, analisa um momento de marasmo da sociedade e traça, como Michelangelo Antonioni o fez na Itália, estados de alma melancólicos.

Sobre o cineasta

Cineasta, ator, e roteirista, Helmut Käutner (1908-1980) foi um dos mais aclamados diretores alemães de sua geração. Tendo estudado Arquitetura, Filosofia, Teatro, História da Arte e Design, começou primeiramente a trabalhar no teatro como ator e diretor e iniciou sua carreira no cinema como roteirista.

Fez 36 filmes para o cinema. A mostra, uma parceria entre o CCBB e o Goethe-Institut São Paulo,  exibe um terço da obra completa do diretor e preenche uma lacuna ao exibir um cineasta muito pouco visto no Brasil. A programação inclui seus filmes mais relevantes, incluindo suas três reconhecidas obras-primas “Romance em Bemol” (1943), “Grande liberdade nº7” (1944) e “Debaixo das Pontes” (1945).

A ruiva