Alguns diretores do cinema brasileiro estrearam no longa-metragem com filmes de qualidade que foram considerados obras-primas.

Durval discos
(São Paulo, 2002, 93 min).
Direção: Anna Muylaert. Com Ary França, Etty Fraser, Marisa Orth e outros.
Na era dos CDs, homem mantém uma loja de discos de vinil no bairro de Pinheiros (SP). Para ajudar sua mãe idosa, ele contrata uma empregada que, após três dias, desaparece misteriosamente, deixando uma menina de 5 anos para que eles a cuidem.
Data: 20/2, às 18h

Bang Bang
(São Paulo/Minas Gerais, 1970, 85 min). Dir.: Andrea Tonacci. Com Paulo César Pereio, Jura Otero, Abrão Farc e outros.
A vida de um ator de cinema se confunde com a do personagem que representa em um filme que está sendo realizado.
Data: 19/2, às 16h

Sargento Getúlio
(Sergipe, 1983, 85 min).
Direção: Hermano Penna. Com Lima Duarte, Fernando Bezerra, Paulinho Campos e outros.
A trama narra a viagem realizada pelo sargento Getúlio e o motorista Amaro, no cumprimento da missão de transportar um preso político da Bahia para Sergipe. Uma alteração na situação política muda essa missão.
Data: 19/2, às 18h

A hora da estrela
(São Paulo, 1985, 96 min).
Direção: Suzana Amaral. Com Marcélia Cartaxo, José Dumont, Tamara Taxman e outros.
Imigrante nordestina e sonhadora conhece casualmente um conterrâneo em São Paulo. Iniciam um namoro que desencadeia uma tragédia.
Data: 19/2, às 20h

Bete balanço
(Rio de Janeiro, 1984, 72 min).
Direção: Lael Rodrigues. Com Debora Bloch, Lauro Corona, Diogo Vilela e outros.

Moça do interior mineiro vai para o Rio de Janeiro em busca de realização profissional como cantora.
Data: 20/2, às 16h

Houve uma vez dois verões
(Rio Grande do Sul, 2002, 75 min).
Direção: Jorge Furtado. Com André Arteche, Ana Maria Manieri, Pedro Furtado e outros.
História de amor entre um garoto ingênuo e uma garota que só pensa em dinheiro.
Data: 20/2, às 20h

O cineasta da selva
(São Paulo, 1997, 87 min).
Direção: Aurélio Michilles. Com José Abreu. Participação especial: Denise Fraga .
Misturando uma realidade imaginada, o documentário conta a vida do cineasta Silvino Santos (1896-1970), nascido em Portugal, e apaixonado pelo Rio Amazonas.
Data: 21/2, às 16h

Por trás do pano
(São Paulo, 1999, 90 min).
Direção: Luiz Villaça. Com Denise Fraga, Luís Melo, Pedro Cardoso e outros.
História urbana do relacionamento de dois casais: uma jovem atriz casada com um artista plástico e um diretor teatral, com uma arquiteta.
Data: 21/2, às 18h

Cafuné
(Rio de Janeiro, 2006, 73 min).
Direção: Bruno Vianna. Com Priscila Assum, Lucio Andrey, Dilma Lóes e outros.
A história de amor entre dois jovens de diferentes classes sociais e todas as dificuldades que passam em manter esse relacionamento.
Data: 21/2, às 20h

São Paulo S/A
(São Paulo, 1965, 107 min).
Direção: Luiz Sergio Person. Com Walmor Chagas, Eva Wilma, Ana Esmeralda e outros.
Mesmo desfrutando de uma vida afetiva estável e de uma carreira bem-sucedida no ramo da indústria automobilística, homem vive insatisfeito e decide abandonar tudo.
Data: 22/2, às 16h

Baile perfumado
(Pernambuco, 1996, 93 min).
Direção: Paulo Caldas e Lírio Ferreira. Com Duda Mamberti, Luiz Carlos Vasconcelos, Aramis Trindade e outros.
Mascate se torna amigo íntimo do padre Cícero e tenta filmar, com sua interferência, Lampião e seu bando, acreditando que o filme o tornará rico. A ditadura frustra suas expectativas.
Data: 22/2, às 18h

Amarelo manga
(Pernambuco, 2002, 100 min).
Direção: Cláudio Assis. Com Matheus Natchegaele, Jonas Bloch, Dira Paes e outros.
Vários personagens diferentes convivem em bairros populares da cidade de Recife. Um hotel decadente é um dos principais locais onde se desenrolam as tramas vividas.
Data: 22/2, às 20h

O primeiro filme