As esculturas de Jaildo Marinho, um dos mais expressivos escultores na Europa, chegam e território nacional a partir do dia 30 de outubro, na exposição Jaildo Marinho – Le Vide Oblique. Nascido em Pernambuco, em 1970, e radicado na França desde 1993, Jaildo leva à Pinakotheke Cultural 39 obras, dentre pinturas e esculturas, produzidas entre 2002 e 2012, algumas inéditas.

Diviulgação

Créditos: Diviulgação

O artista já recebeu os prêmios Medalha de Ouro do Festival Internacional de Mahares e 3º Prêmio em escultura da Bienal de Malta

Integrante do Grupo MADI (Movimento, Abstração, Dimensão, Invenção, formalizado em 1946, na Argentina), Jaildo Marinho faz um permanente diálogo com o construtivismo. Suas esculturas, em mármore branco de Carrara de Thassos, têm formas geométricas, algumas com a utilização da cor em tinta acrílica.

As pinturas são em tinta acrílica sobre madeira e fio de algodão. “Familiarizado com os teóricos tanto da Gestalt quanto do Bauhaus, orgulhoso de uma grande admiração pela obra de Jesus Soto, ele aprendeu que o vazio que separa duas cores modifica nossa percepção das superfícies, das profundidades e dos valores”, diz Jacques Leenhardt, curador.

Jaildo Marinho – Le Vide Oblique

31 Out
a
08 Dez

  • de 31/10 a 08/12
    • Segundas, Terças, Quartas, Quintas e Sextas das 10:00 às 18:00
    • Sábados das 10:00 às 16:00

Avenida Simão Bolívar - Jazz na Avenida
Avenida Simon Bolívar, s/n Armação Salvador - BA
Catraca Livre
Exposição do artista pernambucano ocupa a Pinakotheke Cultural até dezembro