divulgaçãoObra de Tomás Vega

Créditos: Obra de Tomás Vega

Obra de Tomás Vega

Entrou em cartaz a mostra “Trinta e seis visões do Largo da Batata”. A exposição dos artistas plásticos Gabriel Centurión e Tomás Vega traz visões pessoais de um local específico, o Largo de Pinheiros mais conhecido como Largo da Batata.

O tema do trabalho é inspirado na série de gravuras do artista japonês Hokusai (1760-1849) intitulada “Trinta seis visões do monte Fuji”,  interpretações do artista japonês sobre um lugar sagrado.

Os jovens artistas paulistanos lançam também olhares pessoais sobre este lugar degradado. Atualmente, a região do Largo da Batata está passando por um intenso processo de transformação e reurbanização por conta das obras da nova linha do metrô. Os trabalhos são resultado de um trabalho de documentação e interpretação artística do local e da modificação da paisagem.

divulgaçãoImagem antes e depois da reurbanização do Largo

Créditos: Imagem antes e depois da reurbanização do Largo

Imagem antes e depois da reurbanização do Largo

Em meio ao caos natural de transeuntes no Largo da Batata, somado às obras da reurbanização, os artistas fazem um levantamento fotográfico e videográfico do contexto que servirão de base para a criação das obras.

O caráter documental da exposição se aprofunda então na reelaboração sensível das imagens captadas.

O registro dos prédios que são demolidos, a expectativa dos passantes, comerciantes e habitantes com as mudanças da região carregam ainda um valor histórico para a exposição, que apresenta variadas técnicas e formas para falar do tema, entre elas, pintura, fotografia, escultura e video.

36 Visões do Largo da Batata