O Paço das Artes e o Museu da Imagem e do Som (MIS) inauguram nesta segunda-feira, 5, às 20 h, no Paço das Artes, a mostra da suíça Pipilotti Rist, uma das principais representantes da videoarte mundial. Com curadoria de Daniela Bousso, Diretora Executiva do MIS e do Paço das Artes, a exposição Pipilotti Rist, uma retrospectiva do trabalho da artista, explora temas que permeiam sua produção, como fantasia, sonho, prazer e erotismo.

Organizada em dois núcleos, um no Paço das Artes e outro no MIS, a mostra traz a São Paulo os trabalhos mais representativos da artista, obras com elementos alentadores em contraposição ao duro e melancólico cotidiano, em ensaios marcados por humor, ironia e, muitas vezes, anarquia. Enquanto a videoinstalação A Liberty Statue for Löndön (2005) foi especialmente adaptada para o Espaço Redondo do MIS, o Paço das Artes abrigará 10 peças de diferentes períodos.

divulgaçãoIlustração de videoarte

Créditos: Ilustração de videoarte

Ilustração de videoarte

No Paço das Artes
Dez obras, criadas entre 1993 e 2009, poderão ser vistas no Paço das Artes entre 05 de outubro e 06 de dezembro de 2009: Ever is Over All, Apple Tree Innocent on Diamond Hill, Gina’s Mobile, Super Subjective, The Room, Laplamp, Blood Room, Selfless in the Bath of Lava, I Couldn’t Agree  with You More e Small Suburb Brain.

O ambiente imersivo The Room (1994/2007) ganha destaque devido à concepção retrospectiva da exposição. Nele, um quarto com sofá, poltrona, abajur, foto e controle remoto em proporções muito maiores que seu tamanho natural convida o visitante a experimentar proporções invertidas. Uma compilação de 15 vídeos de diferentes períodos da artista é veiculada pela TV.

No MIS
A videoinstalação A Liberty Statue for Löndön (2005) foi especialmente adaptada para o Espaço Redondo do MIS, área expositiva destinada a receber projetos de cinema expandido, cinema interativo e outras abordagens recentes do cinema. A obra, aberta para visitação de 06 de outubro de 2009 a 03 de janeiro de 2010, apresenta a viagem da pré-histórica personagem Pepperminta desde sua saída do Éden por meio de um corredor/túnel (uma espécie de canal de parto artificial) até uma cidade europeia contemporânea.

Contrariando a tradição judaico-cristã, Pipilotti Rist não apresenta a transição do paraíso para a civilização como uma queda: Pepperminta simplesmente testemunha excitação e alucinação. Aparentemente, essa aceitação é o que a torna, como afirma Rist, “um símbolo para o ser humano filosófico”. A instalação foi exibida pela primeira vez em Londres em 2005.

Paço das Artes e MIS com Pipilotti Rist