Confira a lista de atrações do próximo final de semana, dias 18 e 19, no Auditório do Ibirapuera. A entrada é Catraca Livre. Não perca!

Orquestra Brasileira do Auditório (OBA)

Dia 18 de abril os 120 estudantes de música da Escola do Auditório Ibirapuera apresentam músicas que representam São Paulo, gratuitamente, na platéia externa do Auditório.

No repertório dos jovens músicos; Simphonia Paulistana (Billy Blanco), Suíte Paulista (João de Barro – Teddy Vieira e Muibo Cury), Cabocla Tereza (João Pacífico e Raul Torres), Tristeza do Jeca (Angelino de Oliveira), Maricota sai da chuva, (Marcelo Tupinambá e Arlindo Leal), Volta Por Cima (Paulo Vanzolini), Ditado Antigo (Tuniquinho Batuqueiro e Osvaldinho da Cuíca), Tiririca (Osvaldinho da Cuíca), Cuitelinho (Folclore recolhido por Paulo Vanzolini e Antônio Xandó), Samba de Pirapora (Geraldo Filme), O Parque (José Roberto Branco), Suíte Sambas Paulistas (Samba do Arnesto – Adoniran Barbosa), Um Samba no Bexiga (Adoniran Barbosa), Trem das Onze, (Adoniran Barbosa), Saudosa Maloca, (Adoniran Barbosa), Tiro ao Álvaro (Adoniran Barbosa e Oswaldo Moles).

O Instituto Auditório Ibirapuera mantém em sua sede a Escola do Auditório, criada em outubro de 2005 com o objetivo de revelar e apoiar novos talentos. Os 120 alunos que formam a primeira turma da Escola do Auditório têm entre 9 e 18 anos de idade e foram escolhidos entre 5 mil estudantes da rede municipal de ensino durante as atividades do projeto TIM Música nas Escolas.

Os cursos têm a duração de 3 a 5 anos com ênfase nos instrumentos para formação da Orquestra Brasileira da Escola do Auditório. As aulas, práticas e teóricas, são ministradas em salas especiais com tratamento próprio de acústica, gratuitamente.

Ao aluno é proporcionada a oportunidade de participar do cotidiano de um grande auditório e conhecer a multiplicidade de atividades e profissionais necessários ao seu funcionamento, como contato com as diferentes linguagens de atuação no universo da música, desde a técnica até os bastidores da produção de um grande espetáculo.

Data: 18 de abril de 2009
Horários: Sábado, 11h.
Duração: 90 minutos (aproximadamente)
Classificação Indicativa: Livre para todos os públicos
Ingresso: GRATUITO – PLATEIA EXTERNA

Elbipolis Orquestra, Hamburgo – Coral da Academia do Festival de Música de Schleswig-Holstein

O Mozarteum Brasileiro é uma das mais conceituadas associações culturais do país voltadas para a valorização e a disseminação da cultura musical. Por meio da organização e promoção de espetáculos de música clássica e contemporânea e da manutenção de uma série de atividades socioeducativas, fomenta a inclusão social e estende o acesso ao melhor da música para o maior número de pessoas.

“Haendel Gala” com trechos das principais obras de Georg Friedrich Haendel – Israel no Egito, Messias, Judas Maccabeus e Salomão.

Narração a cargo de 2 atores representando Georg Friedrich Haendel e o seu biógrafo Romain Rolland.
Cidade às margens do rio Elba = ELBIPOLIS ou como Hamburgo costuma se denominar: O portal para o mundo. Uma orquestra barroca no portal do mundo é, portanto, como a Orquestra Elbipolis se auto-denomina. Com raízes locais e paixão para a própria história musical, mas também com ouvidos, olhos e coração abertos para o restante do mundo e sempre pronta para empreender viagens de descobertas musicais.

O jovem conjunto, cujo núcleo é composto de músicos renomados de Bremen, Hamburgo e Berlim, realizou muito num curto espaço de tempo. Os convites para festivais, como o Festival de Música de Schleswig-Holstein, o Festival de Bach de Leipzig, os Festivais Musicais de Potsdam-Sanssouci e o Festival de Música de Rheingau, representam marcos significativos na sua biografia.

Regente: Rolf Beck
Parceria: Mozarteum Brasileiro
Data: 19 de abril de 2009
Horários: Domingo, 11h
Duração: 90 minutos (aproximadamente)
Classificação Indicativa: Livre para todos os públicos
Ingresso: GRATUITO – PLATEIA EXTERNA

Quartenaglia

O Quaternaglia Guitar Quartet (QGQ) tem sido aclamado como um dos mais importantes quartetos de violões da atualidade, tanto pelo alto nível de seu trabalho camerístico, quanto por sua importante contribuição para a ampliação do repertório.

Em seus quinze anos de atuação, o grupo - formado pelos violonistas João Luiz, Fábio Ramazzina, Paola Picherzky e Sidney Molina - vem estabelecendo um cânone de obras originais e arranjos audaciosos, o que inclui a colaboração com compositores brasileiros de diversas gerações tais como Egberto Gismonti, Almeida Prado, Paulo Bellinati, Sérgio Molina e Paulo Tiné.

Sua atuação começou a despertar o interesse da crítica internacional a partir de 1998, após a obtenção do "Ensemble Prize" no "Concurso Internacional de Violão de Havana" (Cuba) e da participação em importantes séries de violão e música de câmara dos Estados Unidos, como "Guitarists of the World", "Allegro Guitar Series", "Chamber Music Sedona", "Friends of Music" e "Round Top Festival Hill".

O lançamento do CD "Forrobodó" na Europa pelo selo Carmo/ECM (2000), produzido por Egberto Gismonti, foi o registro pioneiro de um repertório original de grande virtuosismo - quase integralmente dedicado ao próprio quarteto - que tem sido modelo para alguns dos principais ensembles violonísticos da atualidade. Esse trabalho de pesquisa prosseguiu no CD "Presença" (2004), que traz também a primeira gravação mundial do Quarteto n. 1 de Radamés Gnattali e no DVD "Quaternaglia" (2006), gravado ao vivo no Auditório do Itaú Cultural, em São Paulo. Anteriormente, o CD "Antique" (1996), contendo transcrições de obras renascentistas e barrocas, havia sido finalista do "Prêmio Sharp" na categoria "Música Clássica" e possibilitou ao quarteto receber o "Prêmio Carlos Gomes" da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo como o "melhor grupo de câmara do ano".

Data: 19 de abril de 2009
Horários: Domingo, 19h
Duração: 90 minutos (aproximadamente)
Classificação Indicativa: Livre para todos os públicos
Ingresso: GRATUITO. Retirada dos ingressos (2 por pessoa) a partir do dia 07 de abril, apenas na bilheteria do Auditório.

divulgação
Fachada do Auditório

Auditório do Ibirapuera