O objetivo do III Encontro da Cultura Hip Hop é valorizar a produção local e, ao mesmo tempo, reafirmar a importância do bairro no desenvolvimento da cidade. “Queremos promover um encontro cultural em São Miguel que transforme o cenário do conhecimento no cenário do reconhecimento da diversidade, não apenas da informação, do evento e do desconhecimento. Conectar o bairro no circuito de redes de trocas no intuito de implementar a cidadania cultural”, explica Tião Soares, coordenador de cultura da Fundação Tide Setubal.

divulgação

Créditos:

Tiely Queen

Debater a presença feminina no movimento Hip Hop também é diretriz do evento. Para a rapper e atriz Tiely Queen, uma das participantes do Encontro, o envolvimento da mulher dentro do movimento vem mudando. “No começo, era preciso se vestir e cantar como homem para sermos aceitas. Eles pensavam que a única forma que poderíamos contribuir era cuidando da casa e dos filhos. Gradativamente, isso está mudando. A mulher se posiciona dentro do movimente e impõe respeito. E isso faz com que muitas se tornem referência dentro da cultura Hip Hop”, conta Tiely.

Durante o encontro, que reunirá todos os elementos do Hip Hop estão apresentações de Rap, Break, MCs, Djs, B-Boys e Graffiti, Entre os convidados, os MCs Max. B.O, Emicida, Rúbia Fraga, integrante do grupo RPW – um dos mais antigos de São Paulo que influenciou uma geração, e a atriz e rapper Tiely.

Na programação está também o documentário “Guerreiras do Brasil”, produzido por Fábio ACM com direção de Cacau Amaral. O filme é um registro do encontro de 40 rappers mulheres em uma ilha do Rio de Janeiro para discutir a questão da violência doméstica. “Foi um marco muito importante dentro do hip hop, tive a oportunidade de conhecer mulheres de vários lugares que produzem cultura de forma séria, inteligente e criativa. E é isso que iremos mostrar durante o III Encontro da Cultura Hip Hop no CDC Tide Setubal”, conta Tiely.

III Encontro da Cultura Hip Hop em São Miguel Paulista