Exposição apresenta instalações dos brasileiros José Rufino e Divino Sobral e dos uruguaios Sergio Meirana e Pablo Uribe. Em comum, a busca da identidade do homem contemporâneo a partir da memória de questões pessoais, culturais e sociais. A curadoria é de Sylvia Werneck.

Superfícies da Memória