Myanmar (Burma) é um país não muito conhecido como destino turístico. Não é para menos, ele teve suas fronteiras abertas para visitação há poucos anos.

Viajar por lá é ter contato com a cultura budista e com um povo muito receptivo, além de paisagens deslumbrantes. Tudo isso, a um preço bem convidativo!

A segurança é destaque, viajei sozinha sem nenhum incidente.

Fica difícil resumir o que visitar em Myanmar, mas resolvi tentar:

1- Bagan

Créditos:

Nascer do sol em Bagan, a beleza aumenta ainda mais com os balões

Conhecida como a cidade dos 2 mil templos, pode ser visitada em dois dias. Além da visita pelos templos que pode ser de moto, bicicleta ou carro, os destaques são o pôr e o nascer do sol, nesse último, os balões podem ser vistos sobrevoando.

2 – As cavernas sagradas

Créditos:

Interior da Pindaya Caves

Existem no país centenas de cavernas que abrigam estátuas e esculturas. Entre elas, merece destaque a caverna dos 8 mil Budas, Pindaya Caves, com estátuas originárias de diversos lugares do mundo. A cidade de Hpa An também tem em seus arredores uma grande concentração de cavernas, algumas tiveram suas rochas esculpidas, como, por exemplo, a caverna Kawgun, com detalhes artísticos do século 7.

3 – A ponte U Bein

Créditos:

A Ponte U Bein, próxima à cidade de Mandalay

A ponte é um dos orgulhos do país por ser a maior e mais antiga do mundo nesse estilo: 1.2 quilômetros de estacas de madeira. Os turistas se reúnem principalmente no pôr e nascer do sol.

4 – Inle Lake e seus pescadores bailarinos

Créditos:

Passeio de barco no Inle Lake

Não bastasse a beleza natural do lago, ele ainda concentra uma população ribeirinha e os “pescadores bailarinos”. Pela manhã, os passeios de barco nos guiam até o nascer do sol e também para ver essa técnica de pesca, que envolve uma espécie de alçapão, onde os pescadores precisam fazer um giro para atirá-lo ao rio, o movimento parece uma dança.

5 – Trekking

Créditos:

Secagem de pimenta, trekking para o Inle Lake

Diversos trekkings estão disponíveis no país, entre os mais conhecidos está o que liga a cidade de Kalaw ao Inle Lake, as paisagens são deslumbrantes. Esse trekking pode ser feito em dois ou três dias.

6 – A Golden Rock

Créditos:

Vista do Templo Golden Rock

Esse templo é um dos principais locais de peregrinação do país. Mais do que observar a rocha dourada, vale a visita para ter contato com a cultura local. Diz a lenda que a rocha não cai pois está amarrada por um fio de cabelo de Buda.

7 – Mais Budas, templos, monastérios…

Créditos:

A principal pagoda do país, Shwedagon, em Yangon

É imensurável a quantidade, diversidade e beleza dos templos, monatérios, pagodas e estátuas de Buda espalhadas pelo país.

8 – Dormir em um monastério budista

Créditos:

Trilha que leva ao topo da montanha onde está o monastério

Diversos monastérios recebem turistas. Passei uma noite no monastério do monte Zwegabin em Hpa An, a trilha para o templo é linda, e o visual lá de cima, mais bonito ainda. Sem contar a energia mágica do lugar e o contato com os monges.

9 – Bater uma bolinha

Créditos:

O futebol é o esporte nacional e está presente em todos os lugares |

Sim, o futebol é o esporte nacional e se souberem que você é brasileiro (a), certamente será convidado para uma pelada!

10 – As pessoas

Créditos:

Visita à escola – Sala de aula

É impossível sair do país sem se sentir acolhido pelo sorriso da população local. As crianças, em especial, adoram interagir com os turistas. Existe a oportunidade de visitar as casas e também as escolas.

Relato por Gilsi Caresia, do blog GirlsGo

Imagem Autor

Gilsimara Caresia, jornalista e turismóloga, viajou por mais de 70 países sozinha, é a autora do blog GirlsGo. Acredita que lugar de mulher é onde ela quiser.

+ posts do autor

Rede Catraca Livre

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.