Autora do premiado livro infantil “Onde o sol não alcança”, Janaína Michalski tinha três outros engavetados, enfrentando

divulgação

Créditos: divulgação

As páginas foram "publicadas" em livros e postes

dificuldades para publicá-los e sentindo falta de trocar com o público. “Tem muita coisa no mundo editorial que empaca a vida do escritor. Eu estava com necessidade de passar adiante, ser lida, ter um feedback das pessoas”, diz ela.

A partir dessa necessidade que as palavras foram escorrendo para outros espaços além do livro convencional: primeiro, para as redes sociais, onde as pessoas curtiram os pequenos posts com o tema “Não duvide”, e, depois, para as ruas.

As 11 páginas de “Não duvide”, o livro livre criado por ela, acabaram parando em muros grafitados, postes, um orelhão e a mureta de um córrego. Em todas elas, a escritora chama a atenção dos leitores para “os sinais inequívocos do amor” em frases como “Se a ausência é presença, não duvide: é amor”, que tiveram fontes de inspiração diversas - até em uma briga de trabalho.

Satisfeita com os retornos que recebeu pelo amor espalhado pela Tijuca, a escritora, agora, planeja publicar “Não duvide” pelas ruas do Flamengo.

“Essa coisa de ocupar a rua, para mim, é importante. Eu quero continuar fazendo isso com outros livros também. Eu só quero ser lida e dar para o mundo o que o mundo me dá.
A partir de agora, vou estar nas ruas direto”, promete.

Quem não esbarrou com as páginas do livro por aí, pode fazer a leitura na íntegra no álbum da escritora.