O projeto “Poesia no metrô” espalhou poemas pelas estações da linha 2 (verde). Confira aqui os textos que farão parte da mostra.

Ao passar pela estação Vila Madalena, os usuários do metrô poderão ler poesias como:

“Amar”, de Drummond de Andrade;

O soneto de Camões, “Quem vê senhora”…

“Oferta de Anel”, de Haroldo de Campos.

[audio: https://catracalivre.com.br/wp-content/uploads/2009/10/H.Campos-Oferta-de-Anel.mp3]

Na estação Sumaré do metrô:

“Invenção de Orfeu, de Jorge de Lima

Soneto de Camões “Amar é fogo…”

Soneto de Camões “Eu cantarei de amor tão docemente”

Soneto “Alma minha...”, de Camões

No metrô Clínicas:

“O Guardador de Rebanhos (Canto XXXIX)”, de Fernando Pessoa (Alberto Caeiro);

“Vício de Fala”, de Oswald de Andrade;

“Relicário”, de Oswald de Andrade;

“Erro de português”, de Oswald de Andrade;

“Para ser grande”, de Fernado Pessoa (Ricardo Reis);

“Não quero, Cloe”, de Fernando Pessoa (Ricardo Reis);

“Canção de Exílio”, de Gonçalves Dias;

“O Assinalado”, de Cruz e Sousa;

“Mar Português”, de Fernando Pessoa

No metrô Paraíso:

“Cantiga”, de Sá de Miranda;

“Ismália”, de Alphonsus de Guimaraens;

[audio: https://catracalivre.com.br/wp-content/uploads/2009/10/A.Guimaraes-Ismalia.mp3]

“Erro de português”, de  Oswald de Andrade;

“Eu sou trezentos”, de Mário de Andrade;

“O Navio Negreiro-- Canto final (VI)”, de Castro Alves;

“Canto III estrofe 119 e 120, Lusíadas”, de Camões

No metrô Ana Rosa:

“Eu não sou eu...”, de Mário de Sá Carneiro;

“Amiga”, de Florbela Espanca;

Soneto “Temeis, penhas...” -- Claudio Manuel da Costa;

“Antes do vôo da ave”, de Fernando Pessoa;

“O Guardador de Rebanhos (Canto XXXIX)”, de Fernando Pessoa (Alberto Caeiro)

[audio: https://catracalivre.com.br/wp-content/uploads/2009/10/ACaeiro-O-Guardador-de-Rebanhos.mp3]

No metrô Chacára Klabin:

Lusíadas -- Canto III - estrofes 119 e 120, de  Camões;

“Ismália”, de Alphonsus de Guimaraens;

“Sepultura Romântica”, de Antero de Quental;

Soneto “Sobre estas duras...”, de Bocage;

Ao longe os barcos de flores – Camilo Pessanha

[audio: https://catracalivre.com.br/wp-content/uploads/2009/10/C.Pessanha-Ao-Longe-os-Barcos-de-Flores.mp3]

In Extremis, de Olavo Bilac;

No metrô Imigrantes:

“Fanatismo”, de Florbela Espanca;

No metrô Alto do Ipiranga:

“Imitação da água”, de João Cabral de Melo Neto;

[audio: https://catracalivre.com.br/wp-content/uploads/2009/10/J.Cabral-Imitacao-da-Agua1.mp3]

“Campo de Flores”, de Carlos Drummond de Andrade;

In Extremis – Olavo Bilac

Soneto “Sete anos de pastor...”, de Camões

Soneto “ Quem vê senhora..” , de Camões

O Morcego , de Augusto dos Anjos

Rede Catraca Livre

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.