O Slam é um espetáculo sob a forma de encontros de poesia. Criado por Marc Smith em Chicago, nos anos 80, ele suscitou uma admiração da mídia que lhe permitiu propagar-se pelo mundo inteiro. O Slam  trouxe uma renovação para a poesia oral e valorizou a arte da performance poética. Promovida pelo Núcleo Bartolomeu ano passado, a primeira edição do Zap! fez tanto sucesso que passou a ser mensal, sempre nas segundas quintas-feiras do mês.

O Slam costuma acontecer em locais públicos como bares, cafés, salas de espetáculos, centros culturais e cinemas ou lugares  inabituais como agências de correio, livrarias, escolas, hospitais, prisões ou mercados ao ar livre, por exemplo.

Além dos poetas, a platéia também pode participar. A única condição é se inscrever com o apresentador e obedecer as regras dessa performance. O Slam dá a voz a todos, com uma liberdade total de estilo, de gênero e de assunto abordado.

REGRAS:

1) Um poema por vez, devendo ser de autoria do poeta (podem ser lidos)

2) Sem acessórios, sem figurino, sem acompanhamento musical.

3)Os poemas devem ter no máximo 3 minutos, mais dez segundos de bônus. Após esse tempo são descontados pontos.

4) Um júri  formado por cinco pessoas, sorteadas ou escolhidas pelo apresentador (host/mc) entre o público, atribui uma nota após cada poema numa escala de 0.0 a 10.0, podendo haver notas quebradas (por ex:7,8 ou 9,6....)

5) A nota mais alta e a mais baixa são retiradas. Um assistente faz as  "médias" e marca em um quadro onde todos possam ver.

6) O júri não pode se deixar influenciar nem pelo apresentador, nem pelo público, nem pelos poetas.

As regras podem variar de um torneio a outro mas devem sempre se apoiar sobre esses princípios de base para garantir a coesão do Slam.

Todos os poetas participam da primeira rodada. As melhores notas participam da segunda rodada e assim por diante até a terceira e  última rodada.

A premiação varia indo de prêmios simbólicos desde U$10 , a grandes quantias nos grandes campeonatos. No "Slam!Zona Autônoma da Palavra" a premiação será feita com livros.

Em muitas cidades americanas, um torneio anual é organizado para selecionar os participantes para o Slam Nacional. Na França, o movimento acontece desde 1998. As cenas nasceram em Paris e se multiplicaram por todo país.

Na união de poesia e espetáculo interativo, o Slam é o território/espaço da expressão ideal para todos os poetas e todas as formas de poesia.

Ele toca todos os públicos, muito além dos círculos literários tradicionais.

Uma zona autônoma onde o que mais importa não é a performance individual, mas a  "fresta no tempo" onde a poesia oral, a performance e a diversidade são celebradas.

Programação da noite

19h –Exibição de Filmes –

20h- Microfone Aberto - Para quem quiser falar sua poesia, sem necessariamente participar do Slam.

21h- Slam! - A " batalha"  de poesia em si. (Serão 3 rodadas, os participantes trazem seus poemas)

ZAP! Zona Autônoma da Palavra