Termina neste domingo, a 10ª edição do FILE - Festival Internacional de Linguagem Eletrônica - acontece este ano no Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso. O evento acontece de segunda das 11h às 20h, terça a sábado das 10h às 20h, e aos domingos das 10h às 19h. A programação ocupa a Galeria de Arte, o Teatro e o Mezanino do Centro Cultural, na Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp, que recebem a exposição, performances, palestras e workshops.

O FILE, maior festival de arte e tecnologia do Brasil e da América Latina, há dez anos vem inserindo o país no contexto mundial da arte e tecnologia, bem como da mídia arte, realizando uma compilação de produções artísticas no campo das artes eletrônicas e digitais.

Programação do FILE 2009:

O grande destaque de abertura, 27/8, às 19:30, que o FILE traz este ano é o imperdível artista espanhol (catalão) Marcel.lí Antúnez Roca, conhecido e respeitado no cenário artístico internacional por suas performances mecatrônicas espetaculares e instalações robóticas inusitadas. Ele foi um dos fundadores do famoso grupo perfomático: La Fura dels Baus.

Convidado para a abertura do FILE, o artista apresentará a performance “Protomembrana”, uma lição teórica sobre a Sistematurgia, literalmente, dramaturgia dos sistemas computacionais, que serve para tecer um modo da novela latina, uma narração cheia de fábulas. A performance utiliza, além da narração verbal, animação gráfica, música e iluminação. “Protomembrana” será apresentada na inauguração do evento (para convidados) e também no dia 29/7 ao público em geral. Ingressos devem ser retirados a partir das 12h na bilheteria do Teatro do SESI.

Há mais de um ano, um grupo de pesquisadores e interessados está investindo em uma aventura tecnológica: a primeira transmissão de imagens de superalta definição do hemisfério sul para  Estados Unidos e Japão. O que se pretende é transmitir filmes com resolução próxima a 8.000.000 de pixels (4Ks) em redes de 1 a 20 Gbps ao vivo.

O filme “Enquanto a Noite não Chega”, com direção de Beto Souza, será transmitido para a Universidade da Califórnia em San Diego (UCSD) e para a Universidade de Keio, no Japão, em superalta definição. O filme discute uma questão que atormenta a todos os seres humanos desde o início de sua existência - o final da vida, a partir do livro homônimo de Josué Guimarães: “se o fim está muito próximo e se tudo em volta está acabando, a única coisa que resta é fazer a travessia com alguns elementos que ainda existem. E, tudo isso, com muita dignidade”.

O Brasil será pioneiro na transmissão do primeiro longa-metragem em 4K com première em três países simultaneamente em tempo real utilizando o formato digital: dia 30/7, às 19h.

Este ano o FILE mostra diversas experimentações de arte sonora, os destaques são:

Daan Brinkmann - Skinstrument (Holanda)
“Skinstrument” é um instrumento musical que pode ser tocado por duas pessoas. Por meio de uma pequena e imperceptível corrente elétrica, os jogadores tornam-se parte de um circuito. Quando eles se tocam na pele, esse circuito começa a gerar som. A intensidade do toque determina a frequência do som.

Jörg Niehage – Samplingplong (Alemanha)
“Samplingplong” é um conjunto de objetos encontrados ao acaso, que podiam ser usados acusticamente (lixo eletrônico, interruptores, brinquedos plásticos, válvulas de ar comprimido, componentes de operação pneumática), combinados com cabos e tubos. Por meio de um dispositivo controlado por computador, eles se transformam em instrumentos interativos.

A Faculdade de Computação e Informática da Universidade Mackenzie, em parceria com o FILE, apresentará o sistema CAVE (caverna digital) pela primeira vez em uma exposição de arte digital no Brasil. As obras de arte foram especialmente desenvolvidas para esses sistemas de alta imersão e interatividade.

O Hipersônica é um evento que dá ênfase às manifestações musicais, sonoras, visuais e performáticas da arte eletrônica. Sem se preocupar com o mainstream, o Hipersônica estará mostrando expoentes da sonoridade e da música eletrônica em um evento que contará com performances, DJs, VJs e músicos eletrônicos eruditos, enfatizando principalmente as produções experimentais. De 28 a 31 de julho, a partir das 19h.

Idealizado para ser uma mostra audiovisual sobre temas que se relacionam direta e indiretamente com a cultura eletrônica, o FILE-CD [Cinema Documenta] traz dez trabalhos, filmes e vídeos-documentários digitais. Selecionados de um panorama mundial, os trabalhos têm como ideia central o questionamento dos novos fenômenos sociais, comportamentais e culturais que emergem nos principais eventos de linguagem eletrônica - indo muito além do simples prazer do entretenimento. De 28 a 31 de julho – das 18h40 às 21h30 no Mezanino.