O Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais em todo o mundo. E um vídeo que circulou no Facebook nas últimas semanas é mais uma prova dessa sociedade transfóbica. Nele, uma mulher trans de 21 anos é humilhada em um hospital à espera de atendimento após ter sido esfaqueada na praça Willian Valadão, em Maiquinique, região sul da Bahia.

De acordo com informações do G1, a vítima chegou sangrando ao local depois de uma discussão e ainda foi agredida novamente por uma das suspeitas. O delegado Irineu Andrade, que apura o caso, informou que o vídeo ajudou a polícia a identificar três suspeitos de envolvimento no crime até o momento, entre eles a mulher que aparece nas imagens.

No vídeo, a travesti aparece ensanguentada no chão de um hospital

Créditos: Reprodução

No vídeo, a travesti aparece ensanguentada no chão de um hospital

O caso ocorreu no dia 8 de outubro. A mulher que aparece no vídeo, um casal de namorados e outras duas pessoas são suspeitos de estarem envolvidos nas agressões.

"A transexual estava andando de mãos dadas pela praça com o companheiro e os dois passaram por um lugar onde estava o casal e outras pessoas. As pessoas começaram a hostilizá-los e pediram para eles saírem dali porque era um local de família. A transexual revidou, xingou o grupo e houve bate-boca. Depois, a transexual saiu do local com o companheiro e, em seguida, passou pelo mesmo local sozinha. Foi quando o grupo a interceptou", afirmou o delegado ao portal.

Ferida, a travesti conseguiu se arrastar até o hospital municipal da cidade, mas foi seguida e dentro da unidade médica continuou sendo agredida. A Polícia informou que já ouviu algumas testemunhas e a vítima, que recebeu alta nesta segunda-feira, dia 17, após ser transferida para um hospital de Itapetinga, cidade onde nasceu.

Assista ao vídeo abaixo:

(ATENÇÃO: imagens fortes)