A Odebrecht informou à Operação Lava-Jato que a empreiteira deu à campanha presidencial de José Serra, na eleição de 2010, R$ 23 milhões via caixa dois. Parte da quantia foi transferida por meio de uma conta na Suíça.

O repasse no exterior, segundo o jornal Folha de S.Paulo, teria sido mediado pelo ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho, à época do PSDB e hoje do PSD, que integrou a coordenação política da campanha de Serra. No Brasil, a negociação teria sido realizada com o ex-deputado federal Márcio Fortes (PSDB-RJ).

A empreiteira deu R$ 23 milhões à campanha presidencial de Serra em 2010

Créditos: Reprodução/Facebook

A empreiteira deu R$ 23 milhões à campanha presidencial de Serra em 2010

As informações foram reveladas por dois executivos da Odebrecht em delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), em Brasília, e a força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba. Um deles é Pedro Novis, presidente do conglomerado de 2002 a 2009, e o outro é o diretor Carlos Armando Paschoal.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a empreiteira doou oficialmente R$ 2,4 milhões em 2010 para o Comitê Financeiro Nacional da campanha do PSDB à Presidência da República, quando o atual ministro perdeu a disputa para a petista Dilma Rousseff.

Serra é chamado de "careca" e "vizinho" em documentos internos da Odebrecht, por já ter sido vizinho do executivo Pedro Novis.

Leia a reportagem na íntegra