A igreja anglicana, que controla 5 mil escolas, recomendou que as crianças que estudam em suas instituições devem ser livres para explorar as diversas identidades de gênero sem serem rotuladas ou intimidadas.

Veja também:

De acordo com Justin Welby, arcebispo da região da Cantuária, na Inglaterra, todas as formas de bullying, incluindo os relacionados à orientação sexual ou identidade de gênero, podem provocar danos profundos que levam "a níveis altos de desordens mentais".

As informações são do jornal "The Independent" e, segundo a publicação, o religioso quer promover a dignidade para todas as crianças.

"Essas diretrizes ajudam as escolas a oferecerem a mensagem cristã de amor, alegria e celebração de nossa humanidade sem exceção ou exclusão", acredita.

O jornal ressalta ainda que grupos da igreja contrários a decisão do arcebispo acreditam que, por serem discordantes, estão sendo silenciados e rotulados como preconceituosos.

Por fim, o bispo afirma que, independente das ações, os valores cristãos da ideia de casamento permanecem da forma como são dentro da instituição, e que entende o desafio dos educadores de conciliar o ensinamento destes valores em face com a revolução sexual que existe.

Leia mais:

Contra a transfobia: saiba mais sobre cada identidade de gênero