divulgação

Créditos: divulgação

A arte foi o meio escolhido para os jovens contarem como é a vida nas ruas

O que significa sobreviver na rua? Um grupo de 25 adolescentes pretende responder essa questão por meio da arte. Com idades variadas, eles são jovens em situação de rua ou de risco social (que lidam com violência, drogas e problemas familiares, por exemplo). Sua tarefa é contar, usando qualquer plataforma artística, como fazem para comer, dormir, se vestir, ir ao banheiro, se proteger e se divertir.

O trabalho, chamado de “São Paulo: Manuais de Sobrevivência”, é resultado de uma parceria entre a Fundação Unhate, da Benetton, e o Projeto Quixote, uma organização sem fins lucrativos ligada à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Desde o dia 17 os jovens participam de workshops com desenho, fotografia, música e dança na sede do Quixote, na Vila Mariana, Zona Sul. Quem vive com a família volta para casa, quem vive na rua dorme no local.

Tudo que foi produzido durante as oficinas será exposto a partir da terça, 23, na DOC Galeria, que fica na Rua Aspicuelta, 622, Vila Madalena, Zona Oeste de São Paulo. Alguns trabalhos ainda serão projetados em prédios na Avenida Paulista, em uma intervenção urbana sem data definida. A exposição vai até o dia 17 de novembro.

São Paulo: Manuais de Sobrevivência