Todo ano é a mesma coisa: beijo à força, a famosa "mão-boba", estupro. O resultado disso tudo não podia ser diferente: muitas mulheres são vítimas de violência durante o Carnaval. Com o objetivo de não silenciar esses casos, as redes "Mete a Colher" e "Meu Recife" lançaram nas redes sociais a campanha #AconteceuNoCarnaval.

O site da ação, que fica disponível até o dia 5 de março, vai reunir relatos de mulheres que sofreram algum tipo de assédio ou agressão nas festas de rua no Recife e Olinda, em Pernambuco.

Para denunciar o abuso, a vítima deverá informar o local em que o fato ocorreu e relatar o caso. O anonimato é garantido. As denúncias também podem ser feitas com as hashtags #AconteceuNoCarnaval e #AssedioNoCarnaval na internet.

A campanha vai coletar relatos de abuso e agressão durante a folia

Créditos: Eva Jofilsan

A campanha vai coletar relatos de abuso e agressão durante a folia

Ao final da campanha, todos os dados serão categorizados com o objetivo de exigir do poder público políticas para prevenir a violência de gênero no Carnaval, gerando um relatório que será entregue às secretarias da mulher estadual e municipais, além da Secretaria de Defesa Social do Estado.

"As campanhas contra o assédio são fundamentais, pois coletam denúncias, geram estatísticas, impactam as cidades e o melhor, encorajam a mulher a falar sobre ela mesma e sobre as histórias por trás dos sorrisos e dos confetes. Sem medo, em exercício de sororidade", afirma Camila Mendes, do "Meu Recife".

As redes fizeram intervenções nas cidades para alertar sobre a violência contra a mulher

Créditos: Diego Alves

As redes fizeram intervenções nas cidades para alertar sobre a violência contra a mulher

Na semana pré-carnavalesca, as duas redes prepararam intervenções urbanas no Recife Antigo e na Cidade Alta de Olinda. Nesta quarta-feira, dia 22, houve uma colagem de lambe-lambes com os dizeres "Meu Corpo Não é Folia de Ninguém", em 10 pontos das duas cidades.

Durante os quatro dias de Carnaval, serão distribuídas 2 mil unidades de pulseiras entre mulheres com a frase "Moça, to aqui pra te ajudar: denuncie assédio usando #AconteceuNoCarnaval para estimular as mulheres se ajudarem mutuamente quando presenciar algumas cena de assédio".

Para fechar a campanha e apresentar alguns dos resultados, as integrantes das organizações vão participar da "Marcha das Mulheres", que será realizada no dia 08 de março, a partir das 14h, no Parque 13 de Maio.

Campanha #CarnavalSemAssédio

Pelo segundo ano consecutivo, o Catraca Livre promove a campanha #CarnavalSemAssédio com o objetivo de lutar por respeito na folia e pelo fim da violência contra a mulher. Quem está com a gente: a revista "Azmina" e os coletivos "Agora é que são elas", "Nós, Mulheres da Periferia" e "Vamos juntas?".

  • Como parte da campanha, produzimos vários materiais que podem ser compartilhados nas redes sociais com a hashtag #CarnavalSemAssédio. Participe você também. Confira o conteúdo neste link.

Imagem Autor

Feminista, vegetariana e repórter de Cidadania no Catraca Livre. ("nossas costas / contam histórias / que a lombada / de nenhum livro / pode carregar" - Rupi Kaur)

+ posts do autor