Créditos: Reprodução/Instagram

Naldo Benny e Ellen Cardoso

O cantor Naldo Benny, que foi preso nesta quarta-feira, 6, em sua casa, no bairro da Freguesia, zona oeste do Rio de Janeiro, após agredir a esposa, Ellen Pereira Cardoso, e solto após o pagamento da fiança, falou sobre o caso.

Hoje, ele postou um vídeo chorando falando sobre o episódio:

Naldo chora e pede perdão para a Mulher Moranguinho que o acusa de agressão!

Posted by Fabíola Reipert on Thursday, December 7, 2017

E também, em comunicado destinado à imprensa, ele afirmou que está machucado e destruído por conta do caso e que lutará para manter sua família.
"Quero pedir perdão à minha mulher. Vou lutar pela minha família. Estou extremamente destruído, arrependido, quebrado, completamente machucado. Quero pedir perdão aos meus fãs, uma saudade absurda da minha filha, uma saudade absurda da minha mulher. E vou lutar pela minha família. Não abro mão da minha família.Ele também não descartou a possibilidade de buscar ajuda profissional para se tratar.

"Já estou em busca de profissionais que possam me ajudar a ficar em condições de rever tudo que eu fiz, de ser um ser humano melhor, de me tornar um homem melhor, de ser uma pessoa que possa ajudar quem passar por esse tipo de problema. Tenho fé em Deus que vou conseguir isso. Peço orações das pessoas que me amam, que amam minha mulher, que amam minha família", disse

O caso

Ellen Cardoso, ex-dançarina, denunciou o funkeiro no último sábado, 2, na Delegacia de Atendimento a Mulher (DEAM) Jacarepaguá – capital fluminense – alegando que o marido lhe deu socos, tapas e puxões de cabelo.

Palmirinha fala sobre violência doméstica que sofreu de ex-marido

De acordo com o jornal “Extra”, a polícia foi até a casa do famoso para realizar buscas no local e encontrou uma pistola calibre 7,65 sem registro e munição.

Viviane Costa, delegada titular que está cuidando do caso, disse que a briga entre os dois começou após uma cena de ciúmes.

“A esposa dele veio na delegacia e comunicou ter sido vítima de lesão, injúria e ameaça, e verificamos a possibilidade dele ter uma arma não registrada. No mandado de busca, constatamos que ele tinha uma pistola em casa sem registro. Ele foi preso em casa e não esperava. Foi uma discussão por ciúmes em que ele acabou por agredi-la”, explicou à publicação.

  • Veja como denunciar a violência doméstica:

No Brasil há um número específico para receber esse tipo de denúncia,180, a Central de Atendimento à Mulher. O serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias do ano e a ligação é gratuita. Há atendentes capacitados em questões de gênero, políticas públicas para as mulheres, nas orientações sobre o enfrentamento à violência e, principalmente, na forma de receber a denúncia e acolher as mulheres.

O Conselho Nacional de Justiça do Brasil recomenda ainda que as mulheres que sofram algum tipo de violência procurem uma delegacia, de preferência as Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAM), também chamadas de Delegacias da Mulher. Há também os serviços que funcionam em hospitais e universidades e que oferecem atendimento médico, assistência psicossocial e orientação jurídica.

A mulher que sofreu violência pode ainda procurar ajuda nas Defensorias Públicas e Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, nos Conselhos Estaduais dos Direitos das Mulheres e nos centros de referência de atendimento a mulheres.

Se for registrar a ocorrência na delegacia, é importante contar tudo em detalhes e levar testemunhas, se houver, ou indicar o nome e endereço delas. Se a mulher achar que a sua vida ou a de seus familiares (filhos, pais etc.) está em risco, ela pode também procurar ajuda em serviços que mantêm casas-abrigo, que são moradias em local secreto onde a mulher e os filhos podem ficar.

Afinal, o que é violência doméstica e estupro?