No pré-Carnaval deste ano, o Rio viu despontar entre as fantasias uma roupa foliã que fala sobre feminismo. Das estilistas Layana Thomaz e Maíra Nascimento e da artista plástica Rafaela Monteiro, a marca Negoçada propõe uma mulher carnavalesca que veste _ e fala _ o que quer.

Créditos: Elisa Mendes/Gênero e Número e Mulheres Rodadas

As criadoras da marca Negoçada

As peças e os adereços criados pelo trio estampam ícones e mensagens sobre questões de gênero que já têm povoado o debate nos últimos anos, como assédio e transfobia. Colocar essa conversa na avenida durante a maior festa de rua brasileira não deixa de ser um ato político, segundo as Negoçadas.

As criadoras pensavam em fazer uma coleção pequena para que elas e as amigas tivessem roupas confortáveis para pular o Carnaval, mas já no primeiro bloco em que saíram montadas viram muitas mulheres se reconhecerem nas roupas bordadas com úteros e palavras de ordem como “respeite as trans”, “não, obrigada” e “poder feminino”.

A torrente de encomendas que fez com que elas encarassem uma produção quatro vezes maior indica, na opinião de Layana, uma mudança positiva de pensamento que já está em curso.

Leia aqui a íntegra do perfil.