O Papa Francisco não enviou um terço ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por meio de um assessor, como publicaram diversos sites desde segunda-feira, 11.

A falsa informação foi desmentida nesta terça-feira, 12, pelo Vaticano, mas só a postagem feita pela página de Lula no Facebook já acumula mais de 20 mil compartilhamentos, segundo a ferramenta de monitoramento Crowdtangle.

Porém, nem o terço foi enviado pelo Papa e nem o visitante era assessor de Francisco. Como informou nota do Vaticano publicada nesta terça-feira (12), teve caráter pessoal a visita de ontem do advogado argentino Juan Grabois à carceragem da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula segue preso.

Selo Facilite
Reprodução/Facebook

Créditos: Reprodução/Facebook

Após repercussão da falsa notícia, páginas associadas ao ex-presidente se retrataram nas redes sociais

O terço levado por ele não foi enviado, mas “abençoado” por Francisco, disse a Santa Sé, que esclareceu ainda: “terços como esse são levados, como o Santo Padre deseja, a tantos prisioneiros do mundo sem entrar no mérito de realidades particulares”.

Juan Grabois também não é “assessor do Papa”, como chegou a ser publicado. Fundador do Movimento dos Trabalhadores Excluídos, ele foi consultor do extinto Pontifício Conselho Justiça e Paz, como informou o Vaticano.

Em janeiro de 2017, o órgão deu lugar ao Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral e os integrantes do conselho perderam suas funções. Grabois havia sido nomeado pelo Papa Francisco como um dos 15 consultores em 11 de junho de 2016. Confira a matéria completa no site Aos Fatos.