Créditos: Divulgação / Santander Cultural

"Travesti de lambada e deusa das águas", de Bia Leite

Uma advogada gaúcha entrou com uma petição na Justiça do Rio Grande do Sul para reabrirem a exposição "Queermuseu".

Segundo o Estadão, a advogada gaúcha Juliana Campos afirma que a reabertura deve ser no Santander Cultural, mesmo local no qual a mostra foi cancelada após protestos de grupos conversadores, em especial o MBL.

"A exposição, como um conjunto de obras de arte, tem uma característica única e complexa de debater o tema a que se propõe", disse ela para o mesmo jornal.

Ela disse também que o cancelamento "mostra-se em desacordo com a Constituição Federal, que garante o direito à cultura, à liberdade de expressão e assegura a anulação de atos lesivos ao patrimônio cultural (...) Seguindo este caminho, nos tornaremos uma sociedade conservadora, onde o diferente não tem lugar".

Em uma outra petição, mais de 70 mil pessoas apoiam a reabertura da exposição.

  • Leia mais:

Como que censores brasileiros classificariam o 'Queer'