O Senado expediu um mandato de prisão que foi efetuado pela Operação Métis da Polícia Federal nesta sexta-feira, dia 21 de outubro. O intuito foi deflagrar uma quadrilha formada por policiais que estaria tentando obstruir as investigações da Lava Jato.

Renan Calheiros

Créditos: Imagem de Divulgação

Renan Calheiros

Um dos presos é Pedro Ricardo Carvalho, homem de confiança de Renan Calheiros, e atual diretor da polícia do Senado. Juto a ele,  Geraldo Cesar de Deus Oliveira, Everton Taborda e Antonio Tavares também foram detidos.

Entre os políticos beneficiados, além de Calheiros, estariam os senadores Edison Lobão (PMDB), Fernando Collor (PTB) e o ex-presidente José Sarney.

Em nota oficial, a PF esclareceu que "Foram obtidas provas de que o grupo, liderado pelo Diretor da Polícia do Senado, tinha a finalidade de criar embaraços às ações investigativas da Polícia Federal em face de senadores e ex-senadores, utilizando-se de equipamentos de inteligência".