Em outubro, a praça Divina Providência, que fica na rua Santo Antônio, atrás do Palácio Anchieta, sede da Câmara dos Vereadores, passará a se chamar Vladimir Herzog. A praça também receberá uma estátua de 2 metros do jornalista, morto pela ditadura militar, em 1975. O monumento de bronze será uma réplica do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, entregue anualmente.

Instituto Vladimir Herzog

Créditos:

O monumento de bronze será uma réplica do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog, entregue anualmente.

Assassinato

Herzog apresentou-se na sede do DOI-Codi, em São Paulo, na noite de 24 de outubro de 1975, para prestar esclarecimentos sobre suas ligações com o PCB (Partido Comunista Brasileiro). No dia seguinte foi assassinado.

Segundo a versão oficial da época, ele teria se enforcado com o cinto do macacão de presidiário. Mas, de acordo com os testemunhos de Jorge Benigno Jathay Duque Estrada e Rodolfo Konder, jornalistas presos na mesma época no DOI/CODI, Vlado, como era conhecido, foi assassinado sob tortura.