Embora aulas, palestras e encontros presenciais ainda sejam o método mais tradicional de transmissão de informação, a educação cada vez mais se move em um sentido online, isto é, para dentro da rede. Um exemplo disso é a criação de universidades virtuais que funcionam como verdadeiras comunidades de aprendizado compartilhado, como a P2PU.

A Peer 2 Peer University (algo como Universidade Ponto a Ponto, fazendo referência aos programas de torrent, nos quais os usuários compartilham informações entre si) é uma “universidade online” que aproveitou a abertura da internet para romper com o velho modelo de ensino. Criada no final do ano passado, a comunidade de aprendizes que também ensinam, estabelecem normas e definem a direção da universidade funciona de acordo com o crowdsourcing, sistema de compartilhamento de conhecimentos.

divulgação

Créditos: divulgação

O modelo de ensino da P2PU quer fugir do tradicional, fazendo com que o compartilhamento multilateral de informações gere conhecimento

Comunidade

São mais de 30 mil usuários cadastrados (com uma média de seis mil novos alunos ao mês),  que se relacionam em um sistema sem diploma ou créditos, mas com insígnias e distintivos adquiridos. Entre os cursos disponíveis é possível encontrar desde literatura e técnica de redação até desenvolvimento de aplicativos e o que mais vier na cabeça.

Segundo seus idealizadores, a comunidade – formada por especialistas de educação, bibliotecários, poetas, hackers, biólogos, e praticamente qualquer outra coisa – é uma alternativa a um sistema fora de moda e excessivamente caro, baseado em um modelo industrial da educação, onde o acesso teve que ser limitado, a qualidade rareada e o aprendizado demasiadamente estruturado.

Ainda não há graus ou notas oficiais, mas pode haver um futuro em projetos como a P2PU, que, por enquanto, é um playground de aprendizes no qual professores e alunos estão descobrindo seus próximos passos.