Projeto desenha a capital paulista ideal para daqui a 28 anos

Meia hora de casa ao trabalho. Uma área verde a 15 minutos a pé de casa. Rios e córregos 100% despoluídos. Nenhum morador em favela.

Essa é a São Paulo ideal, que começou a ser planejada em dezembro de 2010 com a participação de 25 mil pessoas, sete consultores internacionais, 40 especialistas da USP e 81 técnicos da prefeitura --o projeto custou R$ 2,97 milhões.

O grupo concluiu que é possível chegar a essa nova cidade em 2040. O custo para isso: R$ 314,5 bilhões, ou quase oito vezes o Orçamento total da prefeitura.

Visto dessa forma, parece impossível. Mas os cálculos detalhados no calhamaço de 363 páginas denominado "SP 2040 - A Cidade que Queremos" mostram que já há investimentos previstos para isso.

O maior investimento previsto é a expansão da rede de trens e metrô, que já está sendo feita pelo governo do Estado --R$ 149,8 bilhões até 2040.

A melhoria das condições de moradia vai consumir outros R$ 62,6 bilhões. As obras são gerenciadas, em sua maioria, pela prefeitura, mas boa parte dos recursos pode vir do governo federal.

Ainda estão previstos investimentos nos aeroportos que atendem a região metropolitana --com recursos do governo federal e das concessionárias-- e na construção de corredores de ônibus --esses com recursos da prefeitura e também do governo federal.