Segundo notícia divulgada pelo portal G1 no último domingo, 12, a Prefeitura de São Paulo anunciou a utilização de alimentos naturais nas merendas escolares dos estudantes da rede municipal de ensino. A medida já existia desde a gestão Fernando Haddad.

A iniciativa, adotada após a polêmica da "ração humana", oferecerá aos alunos mais hortaliças e verduras produzidas por agricultores familiares das regiões de Parelheiros e São Mateus, regiões dos extremos sul e leste paulistano.

A princípio, 13 diretorias de ensino regionais serão atendidas pelo programa a um custo estimado de R$ 377 mil em dois meses.

Créditos: Reprodução

Após polêmica envolvendo distribuição de granulado e biscoitos, feitos a base de Farinata, prefeitura retoma antigo modelo de distribuição de merenda com produtos orgânicos

Ainda de acordo com a reportagem, a prefeitura planeja ampliar o  projeto para toda a cidade, reforçando a parceria com agricultores familiares, que distribuirão os alimentos para toda as creches (CEIs), EMEIs (Escola Municipal de Ensino Infantil) e EMEFs (Escola Municipal de Ensino Fundamental) de toda a rede.

Serão adquiridos acelga, alface crespa, alface americana, cebolinha, couve, escarola, repolho e salsa que serão distribuídos para as unidades escolares de 18 prefeituras regionais.

Fazenda de alimentos orgânicos contrata apenas moradores de rua