Nesta quarta-feira, 23, a Câmara Municipal de São Paulo anunciou que os R$ 769 mil que foram reservados para a alimentação dos 55 vereadores foi revisto e passa a ser apenas de 10% desse valor: R$ 77 mil. As informações são da "Folha de S. Paulo", que inicialmente também realizou a denúncia.

Créditos: André Bueno / CMSP

Vereadores perdem 90% do valor que era destinado a alimentação

O contrato feito com a MD Eventos, Viagens e Turismo seria para oferecer banquetes no almoço, jantar e lanches sem custo algum para os parlamentares, mas segundo o presidente da Câmara, o contrato foi revisto e os valores "adequados à realidade".

"Revisando o procedimento de contratação, detectou-se um excesso de preciosismo, pois no cálculo da reserva de recursos, foi considerado o fornecimento de lanches em todas as sessões e CPIs do ano", disse a assessoria da presidência à "Folha" por meio de nota.

O cardápio, segundo apurou a reportagem, inclui frutas no café da manhã, suco, queijo, presunto, torradas e bolos. No almoço ou jantar oferecem saladas, todos os tipo de carne e mais quatro acompanhamentos. À tarde, o lanche vem com caldo, pizza, esfirra, sanduíche, salgados e no lado doce os vereadores encontram brigadeiro, pudim, manjar, torta, entre outros.

salário de um vereador da cidade é de R$ 15.031,76 e os gabinetes têm mais R$ 164.433 anuais para pagar 18 assessores, além de R$ 282.037 para serviços gráficos e deslocamentos pela cidade.

  • Leia também:

Justiça proíbe aumento de salário a vereadores de SP