Créditos: Divulgação/Globo

Samuel também será uma das vítimas de Clara

O psiquiatra Samuel (Eriberto Leão) será mais uma das vítimas da vingança de Clara (Bianca Bin) na nova fase de "O Outro Lado do Paraíso".

A protagonista da trama de Walcyr Carrasco descobrirá que o psiquiatra leva uma vida dupla e usará isso a seu fazer para levar seus planos à frente.

Casado com a enfermeira Suzy (Ellen Rocche) e amante do motorista Sophia (Marieta Severo), Cido (Raphael Zulu), Samuel será desmascarado por Clara, que fará com que a mãe do psiquiatra, Adnéia (Ana Lucia Torre), o flagre de calcinha, cílios postiços e batom em um de seus momentos de intimidade com o motorista.

  • Não há nenhuma vergonha em ser homossexual. A homossexualidade foi retirada da lista de doenças pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no dia 17 de maio de 1990. Apesar do preconceito ainda existir, uma pesquisa da Datafolha revelou que os brasileiros estão aceitando mais a homossexualidade. Confira nessa matéria do Catraca Livre

De acordo com o site "Notícias da TV", Clara fingirá fazer amizade com Adnéia e a enfermeira para desmascarar o psiquiatra. Convidará as duas para jantar, sabendo que Samuel está trancado com Cido em seu flat. Na hora H, Suzy desistirá de sair. Clara, então, levará Adnéia até o apartamento secreto do filho, onde acontecerá o flagrante.

Assim que ver o filho "montado", Adnéia desmaiará. O médico tentará dizer que tudo é uma brincadeira, mas a mãe finalmente se dará conta que o filho é gay e que ela não via porque não queria e acabará aceitando o filho como é.

Samuel pedirá perdão, mas Adnéia fará um discurso emocionado sobre aceitação. "Perdoar? Cê consegue ser de outro jeito? Portanto, eu vou perdoar o que, se é como é? Talvez cê tenha que me perdoar. Por não ter te entendido. Não é o dever de uma mãe compreender e amar o filho?", dirá ela.

As cenas deverão ir ao ar logo no começo de janeiro.

Leia matéria completa com mais detalhes sobre as cenas aqui

Em setembro, uma liminar absurda e retrógrada da Justiça do Distrito Federal permitiu que psicólogos tenham a possibilidade de tratar pessoas LGBT como "doentes". A notícia caiu como uma bomba e muitos protestos aconteceram por causa do retrocesso:

#HomofobiaéDoença vira assunto nas redes sociais

Fernanda Gentil, Ivete Sangalo e Pabllo Vittar contra 'cura gay'

Como ser gay não é doença, veja problemas de saúde que são graves